CT de Cotia é o canto da sereia do São Paulo

O São Paulo conta com uma rede de olheiros espalhados pelo Brasil - a maioria está no interior paulista. Cabe a esses profissionais garimpar jogadores com potencial e levá-los para Cotia. Lá, o garoto passa por um teste. Se aprovado, o gerente da base José Geraldo de Oliveira, então, mostra toda a estrutura do CT para a família do jogador. É quando muitos acabam seduzidos e assinando contrato.

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2013 | 03h10

O presidente do Vitória, Alexi Portela, atesta que a estrutura do CT é incomparável. "Não dá para competir com o São Paulo. O menino chega em Cotia e fica encantado", reclama.

O Tricolor, porém, não usa apenas o CT para atrair jovens talentos. O poder financeiro também faz a diferença. É comum o São Paulo oferecer uma ajuda de custo até três vezes maior do que os times do interior. No caso de Lucão, por exemplo, estima-se que o valor que a família do garoto recebe por mês passou de R$ 1,5 mil para R$ 4,5 mil. /C.C. e R.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.