Cuba investe em liga nacional de vôlei

Cuba está tentando revolucionar seu vôlei, com a criação de uma Liga à maneira do beisebol do país, por conta do centenário daquele esporte coletivo que mais medalhas olímpicas deu aos cubanos. Mireya Luis, que foi uma das maiores jogadoras de vôlei do mundo e capitã da geração de ouro da seleção cubana (tricampeã olímpica nos Jogos de Barcelona/92, Atlanta/96 e Sydney/2000), disse nesta quinta-feira que, por enquanto, serão quatro equipes femininas e cinco masculinas, mas até 2006 espera-se que cheguem a 16, uma por província.?O vôlei é uma instituição em nosso país e trabalhamos para organizar um campeonato similar ao do beisebol, que é o nosso esporte nacional?, disse a ex-atleta, que agora é presidente do Comitê Organizador do Centenário.Segundo Mireya, a prioridade do vôlei cubano é recuperar o título olímpico feminino em Pequim/2008 e conseguir a classificação da seleção masculina (que há alguns anos sofreu baixa com quase todos seus jogadores pedindo asilo político na Europa). Em Atenas/2004, Cuba foi terceira no feminino ? não se classificou no masculino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.