Cuba vê disputa acirrada com Brasil pelo 2º lugar no Pan

O Comitê Olímpico Cubano acredita que a delegação do país travará uma disputa acirrada com o Brasil e o Canadá para conquistar o segundo lugar no quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos, que serão realizados na cidade de Guadalajara, no México, em outubro. E para manter a segunda posição, Cuba aposta tudo no atletismo e nos esportes de luta.

AE, Agência Estado

29 de setembro de 2011 | 13h03

"Nunca foi tão discutido o segundo lugar, atrás dos Estados Unidos. É minha leitura da situação hoje", disse José Ramón Fernández, presidente do Comitê Olímpico Cubano. "Sou otimista, temos a possibilidade se jogarmos bem e vamos fazê-lo, manter com dignidade e jogo limpo nosso segundo lugar".

Fernández informou que 442 atletas vão representar Cuba em 28 dos 36 esportes que serão disputados em Guadalajara. Em 2007, apesar do Pan ter sido realizado no Rio, Cuba conseguiu a segunda colocação no quadro de medalhas, com 59 ouros, 35 pratas e 41 bronzes, logo à frente do Brasil.

O dirigente cubano, porém, reconheceu que manter a posição não será fácil, já que os esportes foram impulsionado nos últimos anos no Brasil, que sediará a Olimpíada de 2016, no Rio, e no Canadá, escolhido para receber o Pan de 2015, em Toronto. "Eles têm estímulos adicionais que os fazem mais fortes".

Segundo o dirigente, as maiores esperanças de Cuba estão concentradas em esportes de luta, como boxe, judô e tae kwon do, no atletismo e também no ciclismo. Os principais atletas do país presentes em Guadalajara serão o barreirista Dayron Robles e o lutador Mijaín López.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-AmericanosCuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.