Cubanos são os principais rivais do Brasil no judô

Os Jogos Pan-Americanos do Rio prometem disputa acirrada entre Brasil e Cuba pela hegemonia do judô continental. As duas equipes são as únicas que possuem atletas em condições de ganhar medalhas em praticamente todas as categorias, tanto no masculino, quanto no feminino. Canadá, Argentina e Venezuela também contam com bons competidores e podem sair do Brasil com medalhas, mas não devem ameaçar os favoritos em termos de conjunto.?No feminino, além de Cuba, temos alguns países emergentes, como o Equador e a Colômbia. Isto sem contar as grandes potências tradicionais como os Estados Unidos e o Canadá?, avalia o presidente da Confederação Brasileira de Judô, Nei Wilson. De acordo com o dirigente, as americanas são especialmente fortes na categoria meio-médio (- 63 kg), enquanto o Equador tem boas atletas no meio leve (- 52 kg) e a Venezuela se destaca no pesado (+78 kg).?No masculino a coisa é mais diluída. Em termos de equipe não teremos apenas Cuba como adversária, mas a Argentina e a Venezuela também contam com judocas experientes. O Canadá é outro país com bons atletas?, avalia Wilson. De qualquer forma, o dirigente acredita que os brasileiros têm condições de lutar de igual para igual com os rivais e manter a tradição medalhista do forte judô nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.