Cuca deixa Botafogo e fica perto do Santos

Técnico se demite do clube carioca e negocia contrato com os paulistas

Sanches Filho, Santos, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2008 | 00h00

O Santos iniciou ontem à tarde negociação para contratar Cuca, que se demitiu após a eliminação do Botafogo na Copa do Brasil. No Rio, o técnico desconversou, ao alegar que não podia falar a respeito do Santos porque resolve pendências com o clube carioca. Também manifestou desejo de ficar de 10 a 15 dias com a família.''Cuca é um nome que agrada a toda a diretoria do Santos'', revelou o diretor de futebol Luiz Antônio Ruas Capella. ''Falta apenas uma conversa pessoalmente, para tomarmos conhecimentos de suas pretensões. Mantivemos um contato com o empresário de Cuca e não temos pressa.''Cuca disse ontem à tarde que sua saída do Botafogo era um ''adeus'', não um ''até logo''. Por isso mesmo, criou-se a expectativa de que o treinador acertaria imediatamente com o Santos. Porém, na primeira tentativa de acordo, o técnico teria pedido bem mais do que os R$ 180 mil mensais oferecidos pelo Santos. Cuca tomou por base os salários dos antessores Vanderlei Luxemburgo (R$ 500 mil) e Emerson Leão (R$ 300 mil).A inesperada falta de pressa do Santos tem uma explicação: Paulo Autuori telefonou ontem para Capella e disse que ainda não perdeu a esperança de ser liberado pelo Al-Rayyan, do Catar.Ao ser informado que para ficar livre basta devolver parte das luvas que recebeu há um ano, Autuori viajou para resolver o problema pessoalmente no Catar.ARTILHEIRO AMEAÇADODurante o primeiro coletivo sob a direção do técnico-interino Márcio Fernandes, o atacante Kléber Pereira recebeu pancada no tornozelo direito, o que provocou o inchaço imediato no local.''Ele vinha sentindo dores e fazendo tratamento em razão de um problema antigo nesse tornozelo'', explicou o médico Carlos Braga. ''Como houve reflexo da pancada e inchaço, Kléber Pereira está fazendo tratamento intensivo.'' O atacante não deve treinar hoje, mas deve se recuperar a tempo para pegar o São Paulo, domingo, na Vila Belmiro. Márcio escalou o time com três zagueiros - Betão, Fabão e Marcelo - na primeira parte do coletivo, e com Wesley ao lado de Kléber Pereira na frente.Depois, tirou o lateral-direito Adriano, passou Betão para a posição e pôs Rodrigo Tabata no meio-de-campo. A segunda formação deve ser a que vai iniciar o clássico, com a possibilidade de Lima entrar no ataque, se Kléber Pereira for vetado.O QUE ELE DISSELuiz Antônio Ruas CapelaDiretor do Santos''Cuca é um nome que agrada a toda a diretoria do Santos''''Falta apenas uma conversa pessoalmente para tomarmos conhecimentos de suas pretensões. Mantivemos um contato com o empresário de Cuca e não temos pressa''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.