Custo com pessoal no sorteio das Eliminatórias da Copa foi de R$ 2,2 mi

Diretora de atendimento ganhou R$ 54 mil nos dias do evento e cachê de artistas e apresentadores atingiu R$ 416 mil

Tiago Rogero, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h05

RIO - O sorteio dos grupos das Eliminatórias da Copa de 2014, realizado na Marina da Glória, no Rio, em 30 de julho, custou à prefeitura só em gastos com pessoal R$ 2,267 milhões. O "supervisor de chegadas e partidas" recebeu R$ 4 mil. O assistente geral, R$ 6 mil e um motorista, R$ 3,5 mil. Pouco, comparado ao que ganhou o "diretor de TV/imprensa/jurídico": R$ 162 mil.

Os valores estão incluídos na cota de patrocínio (R$ 15 milhões) paga pela prefeitura à Geo Eventos, empresa das Organizações Globo e Grupo RBS. A forma como o dinheiro foi investido foi definida pela empresa, que organizou o evento. Outros R$ 15 milhões foram pagos pelo governo estadual.

Na descrição dos gastos, o maior valor é o da locação da Marina da Glória: R$ 3,747 milhões. O cachê de artistas e apresentadores custou R$ 415,9 mil, e a cenografia, R$ 2,246 milhões.

A locação de cada uma das 70 "cadeiras com braço" alugadas custou R$ 204. Para o transporte terrestre de artistas foram pagos R$ 112,8 mil, e com "produção", R$ 1,716 milhão. Entre os gastos com pessoal, R$ 54 mil para a "diretora de atendimento", R$ 11 mil para o "assistente de atendimento" e R$ 22,5 mil para "arquiteta Jr", entre outras funções.

A cota de patrocínio foi destinada sem licitação à Geo Eventos, escolhida pelo Comitê Organizador da Copa - comandado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira. No documento em que justifica a inexigibilidade de licitação, a prefeitura afirma tratar-se "de projeto único e exclusivo", que "recebe grande atenção da mídia internacional". "Além da mídia que a cidade receberá por sediar o 'Preliminary Draw', o Rio será contemplado com a veiculação de um vídeo, produzido pela Fifa, com informações sobre a cidade, durante o início da transmissão televisiva do evento", informou o documento.

Por meio de nota, a Geo Eventos disse que "os valores do serviço foram estabelecidos na proposta, que previu uma remuneração padrão, dentro de preços de mercado, e foram correspondentes ao prazo e complexidade das operações de produção. A apresentação de documentação e prestação de contas ocorreu dentro do modelo dos eventos patrocinados pela Prefeitura e Governo do Estado do Rio de Janeiro".

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014FifaRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.