Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Daiane: "Agora sou a número um do mundo"

"Os últimos serão os primeiros, e hoje sou a número um do mundo no solo. Nem acredito que consegui o ouro". Assim, a gaúcha Daiane dos Santos, de 20 anos, falou sobre a primeira medalha de ouro do Brasil em um Mundial de ginástica artística. A baixinha Daiane (1,45 metro e 41 quilos) foi a última a se apresentar na noite de domingo, quando realizou uma série com saltos de alto grau de dificuldade, incluindo o movimento inédito "duplo twist carpado", desenvolvido pelo ucraniano Oleg Ostapenko, técnico da equipe permanente de ginástica brasileira.A acrobacia foi apresentada nas semifinais do Mundial e recebeu a nota máxima do júri (Super E), que também constatou que a brasileira é a única no mundo a executá-la. "O resultado é fruto de muito trabalho e dedicação. Em uma só competição realizei meus dois grandes sonhos: receber a nota máxima num movimento inédito e ser campeã mundial", festejou Daiane.Com 9.737 pontos, a brasileira deixou para trás a romena Catalina Ponor, com 9.700, e a espanhola Elena Gómez, com 9.675. O primeiro lugar no pódio coroa a melhor temporada de Daiane, que também conquistou a medalha de bronze na etapa alemã da Copa do Mundo e um quarto lugar na etapa francesa.Em Anaheim, nos Estados Unidos, Daiane provou que está recuperada de uma contusão no joelho direito. A dois meses dos Jogos Pan-americanos de São Domingos, submeteu-se a uma artroscopia. "Fiz muita fisioterapia para estar preparada. Deu certo, e estou na minha melhor forma", revelou.No Pan, Daiane não subiu ao pódio nas provas individuais, e levou o bronze por equipes. Mas ela já esperava este resultado. "Quis me poupar no Pan para estar bem no Mundial, mais importante para a gente."Em Winnipeg/99, Daiane foi campeã no solo, prata no salto sobre o cavalo e por equipes. Agora, a atleta do Grêmio Náutico União, descoberta aos 11 anos quando brincava em uma pracinha em Porto Alegre, terá a chance de realizar outro grande sonho: competir pela primeira vez em uma Olimpíada. Já foi à Sydney/2000, mas como reserva. E está garantida em Atenas/2004. Ao lado dos outros ginastas brasileiros, Daiane embarcou nesta segunda-feira para cidade de Orlando, também nos Estados Unidos, para brincar pelos parques da Disney. O presente foi da Confederação Brasileira de Ginástica. A equipe volta ao Brasil no dia 30.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2003 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.