Daiane e Daniele irão duelar no Brasileiro

Antes da Olimpíada de Atenas, em agosto, a equipe brasileira permanente de ginástica olímpica tem um cronograma de competições a cumprir. E as duas principais estrelas do grupo, Daiane dos Santos e Daniele Hypólito, devem fazer um belo duelo. Daiane, de 21 anos, busca um título inédito para sua carreira: o de campeã brasileira no individual geral, quando a atleta é avaliada nos quatro aparelhos - trave, solo, barras assimétricas e salto sobre o cavalo. A hexacampeã nacional é Daniele Hypólito, de 19 anos. O campeonato será entre 1º e 4 de julho, em Porto Alegre."A Daiane tem treinado muito em todos os aparelhos. Tem série boa para os quatro. Só ficou sem treinar na trave na véspera dos Jogos Pan-Americanos de São Domingos, no ano passado, por causa da artroscopia no joelho. O problema a incomodava muito", disse Adriana Alves, técnica do Grêmio Náutico União, de Porto Alegre, clube que a ginasta gaúcha representa."Vou defender meu título, mas sei que será difícil, porque a Daiane está muito bem", disse Daniele. Mesmo com o ouro na trave conquistado na etapa brasileira da Copa do Mundo, no Rio de Janeiro, no fim de semana, a ginasta não pensa em se especializar em um aparelho. "Não vale a pena se aperfeiçoar em um só. Para obter uma vaga olímpica você tem de fazer os quatro aparelhos."Daniele ainda lembrou que, além de competir por aparelhos, na Olimpíada os ginastas disputam medalhas no individual geral e por equipes (na Copa do Mundo, os atletas disputam apenas por aparelhos).Daiane, segundo a técnica Adriana, ainda terá pela frente dois torneios "amistosos" antes do Campeonato Brasileiro. "Em maio haverá duas competições, uma na Espanha e uma no Brasil, que terá participação das equipes da Espanha e Grã-Bretanha."Com Daiane, a equipe permanente volta a treinar nesta quarta-feira, em Curitiba, após dois dias de descanso. Enquanto isso, Daniele disse ainda não ter decidido se voltará a Curitiba. "Preciso conversar com a Georgette Vidor (técnica) e com o Márcio Braga (presidente do Flamengo) sobre a mudança. Tenho vontade de voltar para lá, claro. Na Copa do Mundo percebi que estar com as meninas (da equipe permanente) me faz muito bem. Quando um atleta tem um objetivo traçado, assim como o meu, de ganhar uma medalha olímpica, tem de aprender a treinar em qualquer lugar."Para Atenas, Daniele planeja se apresentar ao som da marchinha "Cidade Maravilhosa", do compositor André Filho, que fez sucesso em 1930 - homenagem ao Rio de Janeiro, sede dos Jogos Pan-Americanos/2007. "Acho que uma adaptação dessa música ficaria muito legal, mas não está nada definido. São apenas planos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.