Daiane volta a sorrir antes da estréia

Após chorar na terça-feira, Daiane dos Santos voltou a sorrir nesta quarta-feira e, a princípio, demonstrou que o estresse foi passageiro, apesar de novamente ter criticado o excessivo assédio de jornalistas e fãs, durante os treinos para a terceira etapa da Copa do Mundo de Ginástica. Ao lado de Daniele Hypólito e Camila Comin, ela foi confirmada entre as três escolhidas para formar a seleção brasileira, durante a disputa da competição que começa nesta sexta e vai até domingo, no centro de convenções Riocentro, em Jacarepaguá. "As pessoas sempre esperam mais de você e, quando as coisas ruins acontecem, mesmo não estando lá, fazem comentários desagradáveis. Todos têm altos e baixos", afirmou Daiane, ainda demonstrando ressentimento e abatimento pelas críticas recebidas por causa do mau desempenho no evento teste para os Jogos Olímpicos da Grécia, em Atenas, no mês passado. Na ocasião, ficou fora da final dos exercícios de solo, onde é a atual campeã mundial. "Às vezes, isso incomoda. É muita gente te perseguindo, querendo saber onde você vai e o aquilo que vai fazer." E o excesso de compromissos e entrevistas continuaram nesta quarta-feira para Daiane. À tarde, por exemplo, após o treino, ela gravou uma reportagem com as primeiras ginastas a representar o Brasil em uma competição internacional, em 1973: Cristina Coutinho e Silvia dos Anjos. Conversou sobre o atual momento, suas alegrias e problemas. Já no hotel, à noite, continuou concedendo entrevistas. A etapa do Rio será a sétima disputada por Daiane, que já colecionou quatro medalhas de ouro no solo. Já Daniele irá para a sua sexta disputa, enquanto Camila, que completou 21 anos nesta quarta e recebeu uma festa surpresa, representará oficialmente o Brasil pela segunda vez na competição. "Ginasta tem que passar o aniversário dentro do ginásio mesmo e quando penso em olimpíada vale tudo", disse Camila. "Espero me dar um presente e conquistar uma medalha aqui. Acho que terei mais chances nas paralelas assimétricas." Até o início da noite, a Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin) não havia decidido por quais aparelhos cada ginasta competiria. Como o Brasil pode inscrever até duas atletas por cada prova, a tendência é a de que Daiane dispute o solo e o salto, Daniele, trave e paralelas assimétricas, e Camila, paralelas assimétricas, trave e solo. Mas, a equipe masculina já foi escolhida e distribuída pelos aparelhos: Mosiah Rodrigues (cavalo com alças e barras paralelas), Diego Hypolito (salto, solo e cavalo com alças) e Michel Conceição (barra fixa, paralelas e argolas).

Agencia Estado,

31 de março de 2004 | 20h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.