Daiene Dias é oitava nos 100m borboleta e Hosszu conquista sétimo ouro no Mundial

Brasileira acaba fazendo tempo inferior ao obtido nas semifinais

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2016 | 22h58

A brasileira Daiene Dias foi a oitava colocada na disputa dos 100 metros borboleta no Mundial de Natação em Piscina Curta, que está sendo realizado em Windsor, no Canadá, numa prova em que acabou sendo coadjuvante de mais uma vitória de Katinka Hosszu.

Daiene Dias marcou o tempo de 57s56, sendo quase 0s5 mais lenta do que nas semifinais, quando avançou para a final com 57s10, com a sexta melhor marca. "Gostaria de ter feito meu melhor tempo, mas saio feliz por fazer mais uma final. Esse foi um ano bom para mim, com participação na Olimpíada. Agora é descansar e depois começar a pensar em 2017", disse a brasileira em entrevista ao SporTV.

Mas mais uma vez quem brilhou foi Hosszu. A húngara venceu a disputa em 55s12, assegurando a sua nona medalha em Windsor, sendo a sétima de ouro. Assim, chegou às 22 medalhas na história da competição. Quem completou o pódio ao lado de Hosszu foram a norte-americana Kelsi Worrell, com 55s22, e a japonesa Rikako Ikee, com 55s64.

O sul-coreano Tae Hwan Park se confirmou como um dos grande nomes desta edição do Mundial de Piscina Curta ao ser campeão da prova dos 1.500 metros livre em 14min15s51, registrando um novo recorde do campeonato, com uma vantagem de pouco mais de 6 segundos para o medalhista de prata, conquistada pelo italiano Gregorio Paltrinieri. Antes, já havia vencido duas finais, dos 200 e dos 400 metros. Ele ainda participou da final dos 100 metros e ficou em sétimo lugar, enquanto o lituano Simonas Billis levou o ouro em 46s58.

Outro destaque do dia foi o polonês Radoslaw Kawecki, que faturou o tricampeonato em piscina curta nos 200 metros costas após completar a distância em 1min47s63. Já a britânica Molly Renshaw triunfou nos 200m peito em 2min18s51. E as canadenses venceram a disputa do 4x50 metros livre em 1min35s00.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.