FIVB (@FIVBVolleyball)/Twitter
FIVB (@FIVBVolleyball)/Twitter

Dal Zotto e Fernando Possenti são eleitos os melhores técnicos do ano pelo COB

Possenti treina Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, e Dal Zotto, a seleção masculina de vôlei

Estadão Conteúdo

04 Dezembro 2018 | 12h54

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou nesta terça-feira que Renan Dal Zotto e Fernando Possenti foram os escolhidos como os melhores técnicos do País no ano de 2018. O técnico da seleção brasileira masculina de vôlei e o treinador da nadadora Ana Marcela Cunha serão homenageados na cerimônia de premiação, marcada para o dia 18, no Rio de Janeiro.

Sob o comando de Dal Zotto, o time masculino foi vice-campeão mundial neste ano, na final contra a Polônia, e quarto colocado na Liga das Nações (que substituiu a Liga Mundial a partir deste ano). Nestas competições, o treinador iniciou uma renovação da equipe, que perdeu alguns dos seus principais jogadores após o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

"Fiquei bastante emocionado porque entendo que, estar à frente de uma seleção brasileira, seja ela de qual modalidade for, é sempre uma responsabilidade muito grande. E ter esse reconhecimento só alimenta a gente para seguir cada vez mais forte no trabalho, dá ânimo de trabalhar cada vez mais duro", comemorou Dal Zotto. "Ganhei um prêmio semelhante a esse como atleta. E agora receber o prêmio como treinador também é uma satisfação enorme. É um prêmio único."

Fernando Possenti, por sua vez, protagonizou mais uma temporada de sucesso em seu trabalho com Ana Marcela Cunha, que se sagrou tetracampeã do circuito de maratonas aquáticas da Fina. Ela venceu duas etapas e registrou um segundo lugar. Com Possenti, a brasileira venceu a competição pela terceira vez. Juntos, também brilharam em 2012 e 2014.

"É um grande reconhecimento. Fui trabalhar fora do país (África do Sul) no começo do ano e voltei com esse projeto do COB, que me surpreendeu muito positivamente pela qualidade dos profissionais, o Laboratório Olímpico, a estrutura do Maria Lenk. Eu e a Ana Marcela tivemos que nos superar para conquistar esse título. Estou emocionado em ganhar o prêmio aqui dentro do meu país pela primeira vez", comemorou o treinador de 39 anos, eleito o melhor técnico do ano pela Fina por quatro vezes.

A cerimônia de premiação do COB neste ano vai homenagear dois treinadores brasileiros que morreram neste ano. Jesus Morlán, técnico da canoagem, e Bebeto de Freitas, treinador de vôlei, vão batizar os troféus que serão entregues aos vencedores.

Outra premiação já definida pelo COB é a de Jackie Silva. A ex-jogadora do vôlei de praia e de quadra vai receber na cerimônia o Troféu Adhemar Ferreira da Silva "por representar por valores como coragem, espírito de liderança e eficiência".

Já a própria Ana Marcela Cunha concorre ao troféu de Melhor Atleta do ano. Concorre com Ana Sátila, da canoagem, e Marta, do futebol. No masculino, Gabriel Medina (surfe), Isaquias Queiroz (canoagem) e Pedro Barros (skate) concorrem ao prêmio.

Na briga pelo Troféu Atleta da Torcida, estão Ágatha e Duda (vôlei de praia), Arthur Zanetti (ginástica artística), Bruno Fratus (natação), Bruno Rezende (vôlei), Eduarda Amorim (handebol), Érika Miranda (judô), Gabriel Medina (surfe), Henrique Avancini (ciclismo mountain bike), Letícia Bufoni (skate) e Marta (futebol) concorrem ao Troféu Atleta da Torcida. A votação estará aberta até o dia 18 pelo site www.pbo.cob.org.br.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.