Daniele cobra mais apoio do governo

As ginastas Daniele Hypólito, medalha de prata no campeonato mundial, e Daiane dos Santos, quinta colocada, foram recebidas nesta quinta-feira no Palácio do Planalto pelo vice-presidente em exercício, Marco Maciel, e pelo ministro dos Esportes e Turismo, Carlos Melles. Como sempre acontece nos eventos que o governo promove para receber atletas vencedores depois de alguma conquista importante, a falta de investimento foi a tônica do encontro. O ministro disse que o investimento na Ginástica Olímpica neste ano foi de R$ 703 mil, um aumento de 650% em relação à verba destinada no ano passado. O testemunho das duas atletas presentes, no entanto, mostra que o valor é ainda é insuficiente. ?Apesar dos aparelhos da Confederação Brasileira da Ginástica serem de primeiro mundo, nós fomos para o Mundial sem o novo cavalo de competição?, afirmou Daniele.Daiane cobrou também dos clubes uma maior ajuda aos atletas. ?OMinistério pagou as nossas hospedagens e as passagens. Mas é muitodinheiro, os clubes também precisam dividir essa conta?. Danielelembrou que a ginástica olímpica só é amadora no nome. ?Treinamos setehoras por dia, suamos a camisa e tem outros esportes com mais apoio doque o nosso.? O ministro dos Esportes reconheceu que a sua pasta nunca teve umapolítica séria, construtiva. ?Nossa proposta é dar o primeiro passo,começar de baixo?, admitiu. ?Trouxemos pessoas, como o Lars Grael eo Paulão, para nos ajudar. E queremos transformar essas meninas comoexemplo para a juventude?. A técnica do Flamengo, Georgette Vidor, cobrou a implantação de uma política de incentivo ao esporte, para atrair o patrocínio da iniciativa privada. Ela exaltou a ajuda do jogador de futebol Ronaldo, da Internazionale de Milão. ?Ele foi uma gracinha de pessoa, mas ajudou com US$ 280 para o pan-americano e US$ 580 para o mundial. É pouco dinheiro, mas com um enorme significado?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.