Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Daniele e Camila disputam final amanhã

As ginastas Camila Comin e Daniele Hypólito disputam nesta sexta-feira a final individual geral no Mundial de Anaheim, na Califórnia, que vai até domingo. Classificaram-se com a 19ª e 21ª colocação, respectivamente. "Fico feliz por estar no grupo das 24 melhores do mundo. A final individual costuma ser muito nivelada", disse Daniele.Sábado e domingo, Daiane dos Santos e Diego Hypólito entram em cena. Ambos disputam a final individual por aparelhos. Daiane faz a final no solo. Com 9.512 pontos, obteve a terceira posição, ficando atrás apenas da Romênia e Espanha. Depois de executar o movimento "duplo twist carpado", pelo qual recebeu a nota máxima do júri (Super E), a ginasta brasileira falou: "Espero acertar os exercícios na fase semifinal e atingir uma boa pontuação." Já Diego classificou-se para as finais no solo (obteve a quinta posição, com 9.550 pontos) e salto sobre o cavalo (sétima posição, com 9.523 pontos).As norte-americanas levaram a primeira medalha de ouro por equipes em toda a história do Mundial de Ginástica Olímpica, na quarta-feira, com 112.523 pontos. Conseguiram deixar para trás a favorita Romênia (110.833) e a surpresa Austrália (110.335).A equipe brasileira, que pela primeira vez chegou à final, repetiu a colocação da fase classificatória. "Esta oitava colocação neste Mundial veio coroar todo nosso esforço. Estar entre as melhores do mundo foi uma grande vitória para o Brasil, pois ganhamos o reconhecimento das principais potências do esporte. Superamos todas as expectativas, porque garantimos a equipe inteira na Olimpíada de Atenas/2004", disse Daniele Hypólito.As chinesas, que haviam se classificado na primeira posição para a final, acabaram penalizadas. Enquanto aguardava o término da apresentação de sua companheira de equipe Zhang Nan, a ginasta Fan Ye estava se alongando e praticando saltos da sua rotina em uma área proibida, o que ocasionou a perda de dois décimos - e as garotas ficaram 0,076 pontos atrás da Austrália, perdendo o bronze. Foi a primeira vez que as australianas conquistaram uma medalha em Mundial.As decepções foram as equipes da Romênia, campeã das cinco últimas edições do Mundial, além de atual campeã olímpica, e da Rússia, que terminou em uma modesta sexta colocação, depois de ter garantido pódio desde 1995. "Estou muito chocada. Foi um resultado totalmente inesperado", disse Natalia Pavlova, líder da equipe russa.

Agencia Estado,

21 de agosto de 2003 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.