Daniele Hypólito no circo, de olho na seletiva

O ginasta Diego Hypólito, de 17 anos, só se lembra de ter ido ao circo uma única vez na vida, em 1999, em Moscou, na Rússia. Sua irmã, Daniele Hypólito, foi ao Circo du Soleil no ano passado, uma trupe especial na qual estão vários ginastas em seus espetáculos. A infância, os irmãos passaram mesmo nos tablados, treinando. "Comecei aos sete anos, minha vida sempre foi a ginástica", confirmou Diego. Nesta quinta-feira, os dois se apresentaram no Circo Escola Picadeiro, em São Paulo, para crianças da Fundação Gol de Letra, em show da Redecard, que patrocina projeto da entidade comandada pelo ex-jogador Raí e os ginastas - o contrato segue até a Olimpíada de Atenas, do ano que vem.Daniele, que voltou a treinar no Flamengo, no Rio, segunda-feira, após 1,5 mês parada por causa de uma lesão óssea, "quase fratura por estresse na perna esquerda", disse nesta quinta, em São Paulo, que não teme que a polêmica que envolveu sua técnica, Gerogette Vidor, e a Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin) traga prejuízo à sua carreira. "Está definido que as seleções serão formadas após a disputa de seletivas internas. E pronto. Não tenho receio, a regra do jogo é essa." Garante que não se arrepende pela decisão de ter voltado a treinar no Flamengo. Georgette fez críticas severas ao trabalho da CBGin e até desmereceu a medalha de ouro no solo ganha, no Mundial da Alemanha, em agosto, por Daiane dos Santos. Daniele não vai mais permanecer em Curitiba, no Paraná, no Centro de Treinamento da CBGin, com a seleção permanente. Diego ainda não sabe.Está esperando que a Confederação se manifeste. "Eu sou atleta, minha parte é treinar. No Flamengo ou em Curitiba eu tenho de treinar. Mas eu escolhi ficar no clube onde me sinto bem, onde treino desde 1995. A regra do jogo está definida e vou fazer as seletivas", afirmou Daniele, sem entrar no mérito da polêmica. Daniela garantiu que vai treinar focada nos Jogos de Atenas, em agosto de 2004, e antes disso nas seletivas para estar na equipe. Diego não tem presença assegurada em Atenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.