David Luiz e Hulk se dizem favoráveis a manifestações

De acordo com a CBF, a seleção não mudará sua logística em função dos protestos

ROBSON MORELLI - Enviado especial, Agência Estado

18 de junho de 2013 | 15h36

FORTALEZA - Dois jogadores da

Hulk foi na mesma linha do companheiro. O atacante disse que não ouviu nem viu manifestação de cerca de 100 pessoas nas imediações do hotel onde a delegação brasileira está hospedada em Fortaleza, mas também posicionou-se favorável aos atos políticos nas principais capitais do País. No Rio, 100 mil pessoas saíram às ruas. Esse número em São Paulo chegou a 70 mil. "Existe uma causa, uma necessidade de melhorar, por isso acho que os manifestantes precisam ser ouvidos, temos de dar razão a eles."

De acordo com a assessoria da CBF, a seleção não mudará em nada sua logística em função dos protestos pelo Brasil. David Luiz também não acredita que as manifestações e reivindicações, uma delas contra os gastos públicos nas obras da Copa do Mundo, causem um rompimento do torcedor com a seleção, e a maior prova disso, segundo ele, foi o carinho recebido no primeiro treino da equipe em Fortaleza, no Estádio Presidente Vargas, com a presença de quase 5 mil pessoas. "Esse carinho foi importante e ele só tende a aumentar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.