Junichi Hirai/ Bulkhead Magazine Japan
Junichi Hirai/ Bulkhead Magazine Japan

De olho em Tóquio, Robert Scheidt é vice na Itália em seu retorno às competições

Velejador destaca chance de competir, devido aos poucos torneios que serão realizados em 2020

Redação, Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2020 | 21h46

De olho nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus, o velejador brasileiro Robert Scheidt voltou às competições nesta semana. Neste domingo, o bicampeão olímpico conquistou o vice do Campeonato Italiano da classe Laser em Follonica, na região da Toscana. E o título no primeiro evento oficial desde o início do surto global da covid-19 não veio por apenas um ponto.

O brasileiro venceu a última regata do dia, terminando com 12 pontos perdidos, enquanto que o norte-americano Charlie Buckinghan, ficou com a taça ao terminar com 11. O terceiro lugar ficou com Juan Ignacio Maegli, da Guatemala, atual bicampeão sul-americano, com 13. A competição reuniu 45 velejadores de oito países.

"O Campeonato Italiano de Classes Olímpicas teve um bom nível técnico, com vários estrangeiros competindo no Golfo de Follonica. Foi ótimo voltar a competir e a fazer regatas de bom nível. São pouco eventos esse ano, então ter a chance de participar é importante. Além disso, velejar no mar também acrescenta na preparação. Onde eu moro é em lago (Garda) e nessa competição encarei condições diferentes em mar aberto, como ondas e correnteza", afirmou o maior medalhista olímpico do Brasil, com cinco pódios.

Scheidt entrou no último dia do Campeonato Italiano na terceira posição. Após seis regatas, havia cruzado a linha de chegada sempre entre os Top 3 com duas vitórias, três segundos lugares e um terceiro. Na primeira disputa desse domingo, conseguiu um sexto lugar. Porém, na segunda e última prova, conquistou mais um triunfo, resultado que garantiu o vice-campeonato.

"Estou muito feliz em voltar a competir, especialmente porque foi possível estar com minha família aqui em Follonica. Minha mulher (a medalha de prata olímpica lituana da Laser Radial, Gintare) e meus filhos, Erik e Lukas, torceram muito", acrescentou.

Após oito regatas em uma semana intensa de disputas, Scheidt não pensa em tirar alguns dias de folga. Aos 47 anos, o bicampeão olímpico vai permanecer em Follonica para mais quatro dias de treinos com os velejadores de diferentes partes do mundo. E as sessões de preparação começam já na manhã desta segunda-feira. "Volto para casa somente na quinta-feira. Vai ser importante aproveitar ao máximo esse período para esticar a preparação após o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.