De olho na América

Vencer o Botafogo e garantir vaga na Libertadores é obrigação para o Palmeiras; Cruzeiro e Fla também na briga

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

Um dos sonhos do Palmeiras em 2008 está a uma vitória de se tornar realidade. Se ganhar do Botafogo na tarde de hoje, às 17 horas, no Palestra Itália, o terceiro colocado do Campeonato Brasileiro, com 65 pontos, garante vaga na Taça Libertadores do ano que vem. Cruzeiro e Flamengo também lutam por um lugar na competição continental. a href=''http://www.estadao.com.br/esportes/'' target=_blank>Siga online os lances do confronto O desafio palmeirense não parece ser tão difícil. Ao menos na teoria. A torcida promete lotar o estádio e apoiar a equipe, e o adversário, além de não ter mais pretensões na competição, pode ajudar o rival Flamengo a ir para a Libertadores caso vença o Palmeiras. E nenhum torcedor botafoguense quer que isso aconteça. O problema alviverde está na história - e no retrospecto recente.O script é justamente igual ao de 2007. Na última rodada, bastava um triunfo sobre o já desclassificado Atlético-MG para chegar à Libertadores. Os mineiros mostraram determinação, raça, bom futebol e, diante de um adversário combalido, venceram por 3 a 1, ajudaram o Cruzeiro a ficar com a vaga no torneio da América e decretaram fim à era Caio Júnior no Palmeiras. A dor palmeirense só foi amenizada com o rebaixamento do Corinthians para a Série B. Agora, em 2008, não há ferida que sare caso a classificação não seja conquistada."Com o aprendizado do ano passado, temos de manter o foco e não achar que vai ser fácil", ensinou Marcos, que em 2007 não atuou na trágica partida por estar machucado. "Todos os jogadores estão conscientes de que o jogo será a nossa final", acrescentou.O atual campeão paulista precisa da vitória hoje para, também, justificar o alto investimento feito no time. A comissão técnica, encabeçada por Vanderlei Luxemburgo, custa cerca de R$ 1 milhão mensal aos cofres do clube - cifras criticadas pela oposição. Para se ter uma idéia, o Palmeiras gastou com o departamento de futebol pouco mais de R$ 65 milhões no ano passado. Em 10 meses de 2008, o mesmo departamento desembolsou R$ 96,3 milhões. A Libertadores é obrigação.Luxemburgo trata de tirar o peso de seus atletas, mas sabe que a próxima temporada depende da partida de hoje. "É ideal decidir a vaga em casa", afirmou. "Faz tempo que o Palmeiras não está na Libertadores e vai ser o jogo do ano."Na verdade, nem faz tanto tempo assim que o time não disputa a competição mais importante da América - a última vez foi em 2006. A saudade é que é grande. O projeto tão falado de Luxemburgo era recolocar o Palmeiras no trilho dos títulos e também na Libertadores. O primeiro objetivo ele já conseguiu. O segundo está perto - e pode ser comemorado hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.