De olho no mercado, São Paulo mantém postura 'conservadora'

Após a sequência positiva que deixou o São Paulo a sete pontos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o time voltou aos trabalhos em alto astral. Enquanto jogadores e comissão técnica tentam buscar a terceira vitória seguida, algo inédito na temporada, a diretoria trabalha para reforçar o time para 2017, mas sem cometer loucuras.

Paulo Favero, Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2016 | 08h50

A postura, segundo os dirigentes, será conservadora, até porque o mercado está bastante inflacionado, com altos salários e condições para negociações fora da realidade do clube. Apesar da especulação de alguns nomes, os dirigentes garantem que não estão negociando com nenhuma atleta no momento.

Um dos fatores que pesa é uma possível classificação para a Copa Libertadores do próximo ano, algo visto no momento como muito difícil de acontecer. O time está a sete pontos do G6 e só com uma campanha excelente nesta reta final do Campeonato Brasileiro a equipe terá condições de brigar por uma vaga no torneio sul-americano.

Justamente por isso, os dirigentes tratam as contratações com calma. Um nome que vem sendo falado bastante é o do atacante Nilmar, de 32 anos, que está no Al Nasr, dos Emirados Árabes Unidos. Ele sempre foi um sonho antigo do São Paulo e tem contrato com o clube do exterior até julho de 2017.

Tudo o que sabemos sobre:
São PauloCampeonato BrasileiroNilmar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.