De olho no Tolima, equipe joga por reação

Mesmo com reservas, Corinthians vê jogo como importante para resgatar o moral para a decisão de quarta-feira, na Colômbia

, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2011 | 00h00

O Corinthians entra em campo hoje com seus suplentes para apagar o pior começo de Paulista do clube em cinco anos. Desde 2005, quando iniciou o Estadual com duas derrotas e uma vitória, o time não faz tão poucos pontos e gols. E, naquele ano, o mesmo Tite começava uma temporada turbulenta à frente da equipe.

À espera de Tévez, Carlos Alberto, Marinho e outros nomes de peso que haviam sido recém- contratados pela MSI, o Corinthians venceu apenas o terceiro jogo em 2005. Pressionado, Tite caiu na 10.ª rodada para dar lugar ao argentino Daniel Passarella - que se mostraria um fiasco à frente da equipe corintiana.

Em 2011, a situação de Tite se tornou menos cômoda após o tropeço na pré-Libertadores, mas o técnico está invicto. Em 12 jogos desde a reta final do último Brasileiro, foram seis vitórias e seis empates. Neste Paulista, estreou com vitória sobre a Portuguesa (2 a 0), mas empatou com Bragantino e Noroeste, ambos por 1 a 1. Tem quatro pontos e fez apenas quatro gols. O próprio treinador, porém, defende seu retrospecto. "Nos últimos 12 jogos, a equipe só deixou de marcar gol em um (contra o Tolima) e não perdeu nenhum."

Dentinho preocupa. O atacante Dentinho, que pode perder a posição no jogo de volta da pré-Libertadores, contra o Tolima, machucou o tornozelo ontem pela manhã e deixou o treino mais cedo. Agora, passa a ser dúvida para a partida na Colômbia.

Nas três primeiras rodadas, o Corinthians jogou com os titulares, mas desta vez colocará os reservas. Apenas o goleiro Júlio César enfrenta o São Bernardo. Na armação, Danilo, Morais e o peruano Luís Ramirez serão testados, já que Bruno César não vem agradando. No ataque, Edno será observado mais uma vez. O time joga no 4-3-3, com a volta de Paulinho ao meio-campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.