De volta para a baixada

Apesar de estar devastado pelo corte, Rafael reuniu forças para encarar os jornalistas durante o anúncio da notícia. Ele havia acabado de passar uma noite horrível, em que não conseguiu dormir. Estava à espera do resultado do exame de ressonância magnética que acabou por confirmar seu corte. Contendo-se para não desabar, ele disse que vai torcer muito para a seleção ganhar a medalha de ouro. "Tenho certeza de que o Brasil vai conseguir o ouro, o time é fantástico e a preparação foi muito bem feita", disse o goleiro, que tinha a viagem de volta para o Brasil marcada para a noite de ontem.

SAINT ALBANS, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2012 | 03h09

"Minha conversa com o Mano foi triste, mas ele falou coisas bonitas e fiquei feliz, vi o carinho dele e a confiança no meu trabalho. E conversei muito com o Sandro, que passou pela mesma situação na Copa América (de 2011) e agora está aqui."

Segundo o médico da Seleção, José Luiz Runco, não é possível prever quanto tempo Rafael ficará sem jogar. Ele explicou que o corte só ocorreu porque apenas dois goleiros podem ser inscritos. Se fossem três, como na Copa do Mundo, o goleiro seria mantido no grupo para tentar se recuperar para as fases decisivas da competição. Rafael desembarca hoje em São Paulo e deve seguir para Santos para começar a recuperação da lesão. / M.S.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.