Decepção toma conta na derrotada Paris

Uma imensa decepção tomou conta dos franceses com o anúncio feito pelo presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional) de que Londres, e não Paris, foi eleita sede dos Jogos Olímpicos de 2012 por uma diferença de apenas quatro votos - 54 contra 50. Esse anúncio constituiu mais uma vitória para Tony Blair e uma "ducha escocesa" para o presidente Jacques Chirac, que tomou conhecimento da derrota francesa, a terceira nos últimos vinte anos, ainda a bordo do avião que o transportou de Cingapura para a Escócia, onde participa da reunião do G8. Ao descer do avião, Chirac manifestou sua forte decepção, mas, tentando manter seu fair play, disse que a primeira coisa que faria na Escócia seria saudar a rainha Elisabeth e o primeiro ministro Tony Blair pela vitória de Londres. A reação da delegação francesa, dirigida pelo prefeito de Paris, Bertrand Delanoé, foi de uma grande perplexidade, pois nenhum deles tinha a menor dúvida de que Paris seria a capital escolhida. Também atletas olímpicos franceses, como o judoca David Douillet e Marie Jo Perec - ambos medalha de ouro nas Olimpíadas anteriores -, não resistiram à surpresa e derramaram algumas lagrimas. Douillet disse que o resultado era incompreensível, diante da reação favorável e dos aplausos dos membros do COI ao projeto francês. Por isso, a seu ver, vai ser muito difícil digerir essa derrota. ?Não há dúvida que na fase atual que a França atravessa, de crise econômica e social, essa vitória seria fundamental para melhorar o moral dos franceses?, afirmou. O prefeito Betrand Delanoé disse que era preciso ter fair play, mas estranhou que no hotel onde estava hospedado assistiu à noite, na hora que subia para dormir, um vai e vem de membros do COI antes e após encontros com Tony Blair. ?O chefe do governo britânico desenvolveu uma intensa atividade nas horas em que permaneceu em Cingapura e sua influência foi decisiva?. Também o atleta Sebastian Coe, chefe da delegação britânica, teve uma forte influência na decisão. Depois da vitória, o primeiro ministro Blair afirmou que os ingleses deveriam ser "magnânimos diante da vitória". Em Paris, doze mil cartazes publicitários serão instalados na capital a partir desta quinta com os dizeres: "Paris continua amando o esporte". Desde as 3 horas da madrugada (horário de Paris), as emissoras de televisão francesas passaram a acompanhar, praticamente em transmissão direta, todos os passos de sua delegação em Cingapura. A certeza de que seriam os vitoriosos ocorreu logo após a aplaudida apresentação do projeto francês. A população chegou a ser convocada para se concentrar junto aos dois telões armados diante do Hotel de Ville (a Prefeitura de Paris) e as emissoras de televisão começaram a montar suas câmeras nos Champs Elysées, pois se pretendia festejar a vitória parisiense numa festa semelhante a que ocorreu nesse mesmo local, após a vitória contra o Brasil na final da Copa do Mundo. Tão logo o resultado desfavorável foi anunciado, os franceses, que começavam a ser numerosos nesses locais, foram se dispersando, tristes e frustrados. As principais emissoras de televisão decidiram anular a programação especial prevista em caso de vitória parisiense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.