Damir Sagolj/Reuters
Damir Sagolj/Reuters

Decisão nas semifinais da esgrima tem polêmica e lágrimas

Sul-coreana contestou o ponto final que desempatou o confronto com a alemã Britta Heidemann

O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2012 | 19h35

LONDRES - A definição das medalhas na esgrima, na categoria espada, foi marcada por uma disputa tumultuada entre as mulheres nesta segunda-feira. Os juízes tiveram suas decisões questionadas na semifinal e na decisão da medalha de ouro, que acabou ficando com a ucraniana Yana Shemyakina.

Com um segundo para o fim da prorrogação no duelo entre a sul-coreana Shin A. Lam e a alemã Britta Heidemann, o placar mostrava 5 a 5 e Lam seria declarada finalista caso o resultado permanecesse. Um ponto polêmico marcado pela alemã após quatro tentativas com o segundo final “congelado”, entretanto, atrasou em mais de uma hora o resultado – que terminou em 6 a 5 para Heidemann.

Enquanto a alemã comemorava o que acreditava ser o ponto da vitória e seguia logo aos vestiários, a sul-coreana e seu treinador reclamavam que o tempo já havia estourado quando o ponto foi marcado – o último segundo já havia zerado, mas voltou a pedido da juíza. Aos prantos, Shin recusou-se a deixar a pista – o que caracterizaria a derrota – e os juízes tiveram uma acalorada discussão enquanto o técnico esbravejava.

Depois de quase 20 minutos de discussão, a vitória foi dada a Heidemann e Shin sentou na pista, chorando, enquanto seu técnico entrava com um protesto formal sobre o resultado. Para que ele apelasse, no entanto, outra polêmica se instaurou: uma quantia em dinheiro teria que ser depositada para que a decisão fosse revista. Enquanto isso, por mais 40 minutos, Shin A. Lam permaneu sentada, aplaudida pela torcida.

Chorando copiosamente, a sul-coreana acabou conquistando a simpatia da maior parte dos 8 mil espectadores presentes nas arquibancadas. O apoio do público, porém, não afetou a decisão dos juízes, que mantiveram a vitória da rival.

Fora da decisão, restou à Shin A-lam brigar pelo bronze. Mas, mesmo com o apoio maciço dos espectadores, ela foi derrotada pela chinesa Sun Yujie, por 15 a 11, e deixou a competição sem medalhas.

A final da espada também foi tumultuada. A disputa chamou a atenção nos últimos momentos, quando os juízes estenderam o confronto para levar ao desempate. Mesmo com o cronômetro faltando apenas um segundo, Shemyakina e Heidemann disputaram o ponto final por três vezes. A ucraniana levou a melhor na terceira tentativa e venceu por 9 a 8. (Com ESPN)

Atualizada às 22:51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.