Defesa perde boa série, mas Santos não desiste de título

Santistas não sofriam gol havia três jogos, mas ontem falharam demais. Elenco, no entanto, mantém o otimismo

, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2010 | 00h00

Até a derrota para o São Paulo, ontem, o Santos vinha de três vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro, resultados que reacenderam o sonho do time pela tríplice coroa - afinal, a equipe da Vila Belmiro já conquistou o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil. Mas o setor defensivo, que foi o destaque do time nas rodadas anteriores, não conseguiu manter o bom desempenho no Morumbi e acabou levando quatro gols.

Nos últimos três triunfos, o gol santista manteve-se intocado. Ontem, porém, os problemas defensivos ocorreram - especialmente no gol de Jean, aos 47 minutos do segundo tempo, que definiu o placar por 4 a 3.

O goleiro Rafael não acusou erros de seus colegas e reconheceu os méritos do time são-paulino na partida do domingo. "É algo que acontece. Tomamos quatro gols, mas fizemos três. Em outros jogos, fizemos um só e não levamos nenhum. Vamos erguer a cabeça, porque estamos no caminho certo." O santista também elogiou o duelo travado no Morumbi. "O importante é que foi um jogo bonito, maravilhoso. Acho que foi um dos melhores do campeonato."

De qualquer maneira, no intervalo, o zagueiro Durval já acusava o incômodo pelo número de gols levado pelo time. O São Paulo saiu perdendo, mas virou a partida ao marcar três de seus quatro gols ainda no primeiro tempo e num intervalo de apenas 19 minutos. "Foi mérito dos atacantes deles, mas talvez um pouco de desatenção da nossa defesa."

Para o técnico Marcelo Martelotte, a partida teve uma participação "anormal" de seus defensores. "Foi um jogo atípico, inclusive nos erros que cometemos, pois a nossa defesa estava muito segura", disse o treinador. "Temos de evitar o nascimento das jogadas, e, no caso do São Paulo, especialmente nas laterais. Sofremos muito com isso no primeiro tempo. Também precisamos ter cuidado com o posicionamento dentro da área, não deixar o atacante subir com condição de cabecear." Foi exatamente numa subida de Ricardo Oliveira, próximo de Rafael, que saiu o gol decisivo de Jean.

Na briga. Apesar do revés no Morumbi, o Santos considera-se firme na disputa pelo título nacional. "Fiz questão de frisar para os jogadores no vestiário: o campeonato não acabou", afirmou Marcelo Martelotte. "Perdemos uma rodada pra tirar a diferença (de seis pontos para o líder Cruzeiro), mas ela se mantém (com a derrota do Cruzeiro). Entendo que ela pode ser tirada a qualquer momento."

Na próxima rodada, o Santos tem grande chance de se manter na briga. No domingo, recebe o lanterna Grêmio Prudente, na Vila Belmiro.

CAMPANHA SANTISTA

10ª derrota sofreu o time do Santos em 30 jogos disputados no Brasileiro. São 14 vitórias e seis empates, com aproveitamento de 53,3%

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.