Definição sobre o futuro de Valdivia deve, enfim, sair nesta quarta

Definição sobre o futuro de Valdivia deve, enfim, sair nesta quarta

Fechamento do mercado para o futebol árabe faz com que decisão ocorra; Palmeiras quer receber mais

Daniel Batista,

25 de julho de 2012 | 03h06

SÃO PAULO - A novela sobre o futuro de Valdivia chega ao fim nesta quarta, 25, com o fechamento do mercado para o futebol árabe e, pelas conversas das pessoas envolvidas na negociação, são grandes as chances de ele deixar o clube. O acordo ainda não foi sacramentado pelo fato de o Palmeiras ficar com um valor pequeno da transação. Dos 4,5 milhões (R$ 11 milhões), o clube ficaria com apenas 1,9 milhões (R$ 4, 6 milhões).

Se vender Valdivia hoje, o Palmeiras ficaria com 44% do valor da negociação. O empresário Osório Furlan teria direito a 36%, valor pago por ele para contratar o meia, e o Al-Ain, dos Emirados Árabes, levaria 20% por causa de uma cláusula no contrato de que, se o meia voltasse ao futebol árabe dentro de dois anos - chegou no fim de julho de 2010 -, o clube teria que receber a multa.

O Palmeiras tenta adiar o pagamento para um dos credores. Enquanto isso, procura convencer o jogador a permanecer no Brasil, mesmo sem a sua mulher. "Achei que a esposa estava mais calma e estávamos trabalhando para ver quando ela voltaria para o Brasil. Agora recuamos", disse o gerente de futebol, César Sampaio, que admitiu ver uma situação delicada para todos os lados. "Se eu morasse no Chile, sofresse uma violência como ele sofreu e tivesse a mulher molestada, seria difícil ficar, ainda mais sem minha família por perto. Mas o Palmeiras não pode ser prejudicado, já que é tão vítima da situação quanto ele", disse.

A falta de tempo não seria problema para o desfecho do negócio. "Hoje a tecnologia está evoluída e rapidamente poderíamos transformar a sondagem em proposta oficial e fechar o negócio'', completou Sampaio.

Entre os dirigentes, é consenso que o ideal seria vender o jogador. Temem que se obrigá-lo a ficar, o jogador poderá passar a fazer "corpo mole". Ontem, o meia fez apenas fortalecimento muscular na academia e não treinou no gramado. O curioso é que no momento em que iria tirar uma foto com um torcedor mirim, ouviu um recado do garoto. "Pensa bem no que você vai fazer." Constrangido, Valdivia riu.

Ontem, Luiz Felipe Scolari negou que tenha ficado irritado com as declarações do meia de que poderia sair. Em contato com o Estado, o treinador garantiu que não pretende se envolver na história.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.