Del Potro desafia Federer

Argentino vai à 1.ª final de Grand Slam enquanto suíço busca 6.º título

, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2009 | 00h00

O ano de 2009 não tem sido dos mais agradáveis para a torcida argentina. Dois dos principais orgulhos esportivos do país, o futebol e o basquete, não andam bem das pernas. O tenista Juan Martín del Potro tem a chance de compensar a maré ruim dos hermanos com uma vitória na final do US Open, hoje, a partir das 14 horas de Brasília. Ontem, o tenista ganhou a primeira vaga em final de Grand Slam da carreira ao derrotar o espanhol Rafael Nadal por triplo 6/2. Mas terá parada dura contra Roger Federer, pentacampeão do torneio, que ganhou do sérvio Novak Djokovic por 7/6, 7/5 e 7/5.

"Este é o melhor momento da minha vida", disse o argentino. "(O US Open) É meu torneio favorito e ainda não estou acreditando." Para Nadal, restou a opção de esperar por mais um ano para conquistar o único título de Grand Slam que falta em seu currículo. "Tiro o chapéu para felicitá-lo", disse o ex-número 1 do mundo, reconhecendo a superioridade do adversário, apesar das dores abdominais que o incomodaram durante o torneio em Nova York.

Na outra semifinal, Djokovic resistiu o quanto pôde, mas não foi suficiente para quebrar a invencibilidade de cinco anos de Roger Federer, superfavorito na final de hoje. O desempenho elegante do suíço teve no match point uma rebatida entre as pernas, que desconcertou o adversário. "Em jogadas como esta você só pode dizer: "Muito bem, boa jogada". O que mais poderia fazer?", perguntou o Djokovic, resignado. "Estava em posição difícil. Não tinha nada a perder", resumiu Federer.

FEMININO

Depois de dois anos ausente do circuito internacional do tênis por causa de uma contusão e uma gravidez, a belga Kim Clijsters faturou ontem o título feminino ao derrotar a dinamarquesa Caroline Wozniacki por 7/5 e 6/3. A tenista tinha jogado dois torneios nesta temporada antes de faturar o Grand Slam americano pela segunda vez na carreira. "Não estava planejando. Apenas queria voltar a disputar torneios", disse a campeã, surpresa com o próprio desempenho.

MULTA

A tenista Serena Williams foi multada em US$ 10,5 mil por conduta antidesportiva ao ofender um árbitro e quebrar uma raquete na partida contra a belga Kim Clijsters. Depois do incidente, a americana pediu desculpas por seu comportamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.