Della Monica sofre derrota, e Palmeiras terá eleições em janeiro

Presidente, que lutava pela prorrogação do mandato até o fim de 2009, deixa o comando no mês que vem

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

Affonso Della Monica sofreu um duro golpe na noite de ontem. Derrotado nas urnas, o presidente palmeirense não conseguiu prorrogar seu mandato até novembro de 2009. As eleições para presidente do clube, assim, vão ocorrer na segunda quinzena de janeiro.O atual mandatário convocou uma Assembléia Geral para que os associados votassem a favor ou não de reformas estatuárias. O projeto já havia sido recusado pelo Conselho Deliberativo em outubro. Ontem, Della Monica precisava de dois terços dos votos para sair vitorioso. No total, 1.436 sócios foram às urnas, e 848 votaram a favor do cartola palmeirense. As 562 pessoas que foram contra determinaram sua derrota.Della Monica deixou o Palestra Itália cabisbaixo e sem dar entrevistas. "O Palmeiras foi campeão", vibrou Roberto Frizzo, provável candidato à presidência pela oposição. "Eles podem convocar quantas Assembléias quiserem que não vão ganhar. Esse foi o nosso título."O vice-presidente Gilberto Cipullo lamentou o resultado. "Tivemos a maioria dos votos, mas não o necessário", declarou. O cartola agora pede que os integrantes da situação permaneçam otimistas para as próximas eleições. "A idéia é nós não nos dividirmos, temos de achar um nome de consenso."Alguns conselheiros chegaram a cogitar a idéia de uma nova Assembléia ser convocada, mas isso dificilmente vai ocorrer. "Não temos clima para isso", comentou José Cyrillo Júnior, diretor administrativo. "A decisão está tomada, não cabe nenhuma medida judicial", conformou-se Cipullo.NO CAMPOO Palmeiras pretende concluir nesta semana a contratação de seu terceiro reforço para 2009. Depois de confirmar os meias Marquinhos e Cleiton Xavier, a idéia é fechar com o zagueiro Danilo, do Atlético-PR.O atleta de 24 anos não atuou na reta final do Brasileiro por atos de indisciplina - abandonou o grupo por estar inconformado com a reserva - e o Palmeiras já iniciou as conversas com o Atlético. "Está bem encaminhado", garantiu o diretor de futebol Genaro Marino. "Mas eles (Atlético) pediram muito", disse Cipullo, mais cauteloso. Depois que Henrique foi vendido para o Barcelona, o time não conseguiu se acertar no setor defensivo. David, que teve destaque no fim do ano passado, se machucou e só voltará atual no Estadual de 2009. Jéci e Gladstone, trazidos como plano de emergência, mais ganharam vaias da torcida do que elogios. E Roque Júnior também decepcionou e só ficará no grupo se Vanderlei Luxemburgo o bancar - o treinador já avisou algumas vezes que pretende contar com atletas experientes para disputar a Taça Libertadores do ano que vem.A semana deve ser de decisões para o Palmeiras, em relação a contratações e dispensas. Vanderlei Luxemburgo já não vai contar com Martinez (que acertou com o japonês Cerezo Osaka), Denilson, Élder Granja e Leandro (o Palmeiras o liberou para voltar ao Porto).Kléber continua como a prioridade de renovação. O atacante viaja amanhã para a Ucrânia junto de seu empresário e vai tentar se desligar do Dínamo de Kiev - o clube pede US$ 8 milhões para liberar o atleta ao Palmeiras. Um cartola palmeirense também vai viajar para e Europa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.