Demolição atrasa e preocupa Japão para Jogos de 2020

Obras estavam previstas para 29 de setembro, mas por problemas de licitação devem começar somente em dezembro

Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2014 | 13h34

O presidente do Comitê Organizador da Olimpíada, Yoshiro Mori, está preocupado com a possibilidade de o atraso na demolição do antigo estádio olímpico ter impacto negativo sobre os Jogos de 2020 e a Copa do Mundo de Rúgbi de 2019.

A demolição do Estádio Nacional deveria começar em 29 de setembro, mas foi adiada por problemas na licitação. Uma nova rodada de licitação foi ordenada, o que atrasou ainda mais o início da demolição, que deve acontecer somente em meados de dezembro.

Yoshiro Mori, que também atua como presidente da União Japonesa de Rúgbi, disse em uma reunião sobre a Copa do Mundo de Rúgbi que estava preocupado com os atrasos.

Os organizadores das Olimpíadas pretendem substituir o antigo estádio por um novo com 80 mil lugares - espaço que também vai sediar a Copa do Mundo de Rúgbi. "Estou preocupado", disse Mori sobre os atrasos. "Os Jogos Olímpicos são para Tóquio, mas vamos ter cerca de 12 estádios na Copa do Mundo de Rúgbi espalhadas pelo país. Como vamos abrir todo o Japão para todo o mundo ver, queremos o sucesso em 2019 como transição para os Jogos Olímpicos de Tóquio".

Os planos para o estádio, projetado pelo arquiteto Zaha Hadid, têm sido atormentados por problemas. Especialistas avaliaram que o projeto é muito grande e caro - inicialmente, o estádio custaria US$ 1,3 bilhão, mas a estimativa rapidamente subiu para mais do que o dobro, embora ainda possa ser reduzida.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada de 2020estádioatrasos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.