Dentinho exibe as ''novas tatuagens'' da guerra uruguaia

Dentinho não condenou as atitudes dos Meninos da Vila no clássico com o Corinthians, pelo Paulista - Neymar chegou a dar um chapéu em Chicão com a bola parada. Na época, o corintiano disse que também gosta de passar o pé por cima da bola, de driblar, e que tudo faz parte da arte do futebol. Ontem, sorridente, o atacante mostrou, no Parque São Jorge, as marcas da violência dos zagueiros do Racing, que o perseguiram em Montevidéu por causa de seus dribles. São três cicatrizes na barriga.

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

"São minhas novas tatuagens, marcas de um jogo difícil", disse, ao mostrar a barriga machucada. "Sabemos que Libertadores é guerra, que nos jogos fora de casa vão nos intimidar. Me ameaçaram, falaram um monte de bobeiras e conseguiram me pegar."

Nada, contudo, que o tire do duelo de quinta-feira, diante do Independiente, quando a equipe buscará fechar a primeira fase como a melhor. A vantagem de decidir os mata-matas em casa é meta no Corinthians. "Pra mim seria uma vantagem jogar com o apoio da torcida. A gente pode jogar fechado no primeiro duelo e no segundo parte para cima. É uma vantagem", disse, garantindo não escolher adversário para as oitavas. "Quem vier pela frente temos de procurar ganhar. Pode vir brasileiro, argentino... Estamos focados na Libertadores. E quem quer ser campeão não pode escolher", garantiu.

A tabela pode colocar o Flamengo, São Paulo ou mesmo o Internacional no caminho corintiano. Há, ainda, a possibilidade de pegar Universitário, Cerro, Racing ou Deportivo Quito.

Chutando para o lado o rótulo de favorito, Dentinho só não admite que tirem os méritos da bela campanha da equipe na primeira fase. "O Corinthians que sobrou, né? Foram partidas difíceis. Falaram que o grupo foi fácil, mas não teve nada de fácil. Foi batalhado, com suor."

Dentinho é apontado como principal jogador para ser negociado após a Libertadores. Sair com o título seria gratificante para o único prata da casa titular.

Novidade. O volante Paulinho, ex-Bragantino, chegou ontem ao clube. O jovem de 21 anos fez exames médicos, assinou contrato de empréstimo até junho de 2013, e realizou testes físicos no Parque São Jorge. Sua apresentação oficial será na segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.