Dentinho se diz pronto para substituir o Fenômeno

Autor de apenas um gol no Brasileiro, contra o São Paulo, atacante aposta que vai balançar as redes na reta final

, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2010 | 00h00

Ronaldo está machucado, Jorge Henrique ainda carece de ritmo de jogo (ficou mais de um mês parado por causa da lesão muscular) e Iarley não consegue regularidade. Necessitando da vitória para ainda sonhar com o título, a esperança do corintiano diante do Vasco, nesta tarde, recai nas costas de Dentinho, que voltou ao time há quatro rodadas, mas cumpriu suspensão no domingo passado por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

Autor de apenas um gol no Brasileiro, o atacante não foge da responsabilidade e garante estar pronto para dar nova alegria ao clube contra os vascaínos.

Foi dos seus pés que saiu o gol do empate por 1 a 1 no Rio, em 2009, que seria, após 0 a 0 no Pacaembu, decisivo para o time chegar à final da Copa do Brasil e ganhá-la do Inter.

"Sem o Ronaldo, posso chamar a responsabilidade, mas o grupo é bastante qualificado. Sabemos a falta que ele faz, pois dentro de campo se torna diferenciado. Nessa hora, quem estiver na frente, eu, o Jorge Henrique ou o Bruno César, tem de chamar a responsabilidade e fazer os gols que o time precisa", afirma o jogador, num discurso ambicioso para esta reta final, quando o time precisa de duas vitórias.

"O importante para mim agora é fazer gols. Só de jogar no Corinthians sou muito feliz, mas sendo campeão ficaria muito mais. Já passei férias tristes com o rebaixamento, alegre com o título da Série B e espero passar essa com o título brasileiro", enfatiza, não satisfeito somente com vaga na Libertadores do ano que vem.

Por isso, seu pedido ao Papai Noel vem numa extensa carta: "Título brasileiro, da Libertadores, eu ficar muito tempo no clube, o Ronaldo seguir jogando, eu dar muita alegria com meus gols e passes, isso seria a felicidade completa", diz.

Na torcida. O primeiro pedido porém, não depende apenas da força dos corintianos após o empate com o Vitória por 1 a 1. E ele sabe bem disso. "Vamos fazer nossa parte bem para depois secarmos o Fluminense", fala.

Triunfo corintiano hoje, com tropeço dos cariocas, significa retomar a liderança e jogar por uma simples vitória diante do Goiás, no dia 5, em Goiânia, para ser pentacampeão e salvar o centenário.

"Nosso centenário só acaba no ano que vem e até lá temos algo para ganhar e com certeza vamos ganhar", frisa. "Não estamos no desespero, porém, chegamos a essa situação porque vacilamos muitas vezes, perdemos pontos bobos. Agora precisamos dar a volta por cima", discursa o atleta, sempre rindo e confiante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.