Dependência de Neymar vai até 2013

Presidente do Santos reclama da falta de dinheiro para contratar jogadores e estuda até apelar para a CBF

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h06

Depois de vender Paulo Henrique Ganso por R$ 23,9 milhões ao São Paulo, a expectativa entre os santistas era de que a diretoria fosse às compras neste fim de temporada para o time não continuar em 2013 tão dependente de Neymar. Apesar de reconhecerem que é preciso montar um elenco maior e com jogadores mais talentosos, o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro e o técnico Muricy Ramalho não parecem animados. E a justificativa é uma só: falta dinheiro.

"Não se pode imaginar que o Santos está com muito dinheiro em caixa, porque não tem", disse o treinador ontem durante evento da Soccerex, feira de negócios do futebol.

O problema é que os reforços pedidos pelo treinador são considerados caros, casos de Cleiton Xavier, Diego Souza e Robinho. "Como o nível dos jogadores que pedimos é alto, as negociações são complicadas. O caso do Robinho, por exemplo, deve virar uma novela."

Para melhorar as finanças do clube, o presidente revelou que estuda até pedir uma recompensa à CBF por ceder seus jogadores, sobretudo Neymar, à seleção. "Acho que é justo que o Santos busque alguma forma de compensação. O Santos está fora da Libertadores de 2013 porque tem talentos. Se a gente tivesse um monte de cabeça de bagre, o Muricy teria 11 jogadores para colocar em campo em todos os jogos do Brasileiro, mas temos jogadores que fazem uma diferença brutal. As convocações impediram que o trabalho fosse plenamente executado."

Luis Alvaro disse que ainda não contabilizou quanto o Santos deixará de receber por ficar fora da Libertadores. Mas manda um recado para o torcedor: "Não gasto mais do que recebo".

Ajuda ao Atlético-MG. O dirigente conversou ontem com o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, para tentar ajudá-lo a segurar o meia Bernard, que recebeu sondagens de vários clubes da Europa. Luis Alvaro está disposto a passar a Kalil a experiência adquirida nas negociações para renovar o contrato de Neymar até 2014. "Estou pronto para fornecer know-how", disse.

Ele revelou ainda ter recebido a informação de que Ronaldinho Gaúcho estaria disposto a jogar no Santos em 2013. Garantiu que não negocia com o jogador. / R.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.