DOMINIC EBENBICHLER /Reuters
DOMINIC EBENBICHLER /Reuters

Derrotado, Bernardinho vira maior medalhista do Brasil

Técnico ultrapassou os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt no número de medalhas olímpicas

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2012 | 11h33

Derrotado pela Rússia na final do vôlei masculino da Olimpíada de Londres, Bernardinho teve como consolo ao menos o fato de que se consagrou como maior medalhista do Brasil na história dos Jogos Olímpicos. Ele agora ostenta seis pódios, um como jogador e cinco como técnico, e ultrapassou os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt, que alcançaram cinco medalhas olímpicas cada um.

Bernardinho subiu pela primeira vez ao pódio olímpico como atleta em Los Angeles/1984, quando era reserva do levantador William na campanha da conquista da medalha de prata. Depois, ele faturou o bronze como treinador da seleção brasileira feminina de vôlei nos Jogos de Atlanta/1996 e de Sydney/2000. Em seguida, levou o time masculino do País ao ouro olímpico em Atenas/2004, conquistou a prata em Pequim/2008 e agora novamente em Londres/2012.

Agora atrás de Bernardinho na lista de maiores medalhistas do Brasil, Roberto Scheidt obteve duas de ouro, duas de prata e uma de bronze, enquanto Torben Grael alcançou duas de ouro, uma de prata e duas de bronze.

Dono de seis medalhas olímpicas, Bernardinho ainda acumula no seu currículo supervitorioso oito títulos da Liga Mundial, três troféus do Campeonato Mundial, estes obtidos de forma seguida em 2002, 2006 e 2010, e dois da Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.