Derrotado por espanhol, Robert Scheidt fica fora da seleção brasileira de vela

Veterano de 43 anos ficou com a medalha de prata na classe 49er na Copa Brasil

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2017 | 16h30

Dono de cinco medalhas olímpicas, Robert Scheidt está fora da seleção brasileira de vela para a temporada 2017. O veterano de 43 anos ficou com a medalha de prata na classe 49er na Copa Brasil de Vela, encerrada no fim de semana, em Porto Alegre (RS), seletiva para formação da equipe que viaja com os recursos pagos pela CBVela. Só os campeões tinham direito a este benefício.

Scheidt se revezou entre as classes Laser e Star durante toda a carreira, mas resolveu se arriscar na 49er neste que pode ser seu último ciclo olímpico. Tendo Gabriel Borges como proeiro, porém, ele foi superado na Copa Brasil pela dupla Carlos Robles/Marco Grael.

Robles até o ano passado competia pela Espanha, mas, filho de mãe brasileira, alterou sua nacionalidade esportiva e formou dupla com Marco. O filho de Torben Grael, que foi timoneiro do barco brasileiro no Rio-2016, tendo Gabriel Borges como proeiro, virou ele o proeiro do espanhol.

"É apenas o começo do ciclo olímpico, mas creio que temos muito potencial como dupla. O Marco tem mais experiência que eu, já disputou os Jogos Rio-2016. Nós fazemos uma boa parceria. Fora da água, somos amigos e temos o mesmo objetivo: sermos os melhores velejadores que pudermos ser", comentou Robles.

Fora da seleção, Scheidt terá que pagar do bolso para treinar e competir. Ainda este mês ele participará do tradicional Troféu Princesa Sofia, na Espanha, e depois deve treinar por mais dois meses, em preparação para os campeonatos Europeu e Mundial.

"Continuamos em busca de 'horas de voo' para competir cada vez mais em pé de igualdade com os melhores velejadores do mundo na classe 49er. Sabemos que é uma tarefa dura, mas estamos animados com os resultados até agora", garantiu.

A ausência de Scheidt não é a única novidade na seleção de vela para 2017. Na própria classe Laser, na qual o veterano disputou os Jogos do Rio, a surpresa foi a vitória do carioca João Pedro Oliveira na disputa contra o favorito Bruno Fontes, que ficará fora da equipe.

Ricardo Winicki, o Bimba, optou por não participar da seletiva depois de 20 anos seguidos sendo campeão brasileiro. Albert de Carvalho, seu parceiro de treinos em Búzios, ganhou a Copa Brasil e entrou na seleção pela primeira vez.

A equipe ainda tem Martine Grael e Kahena Kunze (49er FX), Jorge Zarif (Finn), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 feminino), Geison Mendes e Gustavo Thiesen (470 masculino), Patrícia Freitas (RS:X feminino), Gabriella Kidd (Laser Radial) e Isabel Swan e Samuel Albrecht (Nacra 17).

Tudo o que sabemos sobre:
vela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.