Derrotas de Espanha e Portugal surpreenderam

DECO

Deco, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2014 | 02h03

Tenho visto bons jogos nesta Copa do Mundo no Brasil. Com muita qualidade, lances bonitos e muitos gols em quase todos os jogos. Vi partidas que me chamaram atenção. Gostei muito do jogo da Costa Rica e do seu camisa 10. Ruiz é muito bom jogador e se destacou na vitória de sua seleção contra o Uruguai por 3 a 1, de virada. Outro jogador que continua merecendo destaque é o atacante Robben, da Holanda. Ele pode ser um dos protagonistas da Copa do Mundo - junto com Cristiano Ronaldo (ele ainda tem dois jogos pela frente), Messi e, claro, o craque Neymar.

A média de gols superando a marca de três por partida é outro destaque positivo do Mundial no Brasil. E nesse ponto estão os dois jogos mais surpreendentes até agora para mim. A derrota da Espanha para a Holanda e a de Portugal para a Alemanha. Não especificamente a derrota, mas, sim, o placar dilatado nas duas partidas - vitória dos holandeses por 5 a 1 e dos alemães por 4 a 0, nas duas partidas que, coincidentemente, foram disputadas na Fonte Nova, em Salvador.

Numa Copa do Mundo, com boas seleções atuais como Espanha e Portugal, esse tipo de derrota é muito difícil de acontecer. No caso de Portugal, lembro-me da derrota que sofri na Eurocopa de 2004. Nossa seleção estreou perdendo para a Grécia na primeira partida e, depois, foi buscar o resultado dentro de um grupo complicado. Com duas vitórias, passamos de fase e conseguimos chegar à final, quando jogamos bem, mas ficamos com o vice - de novo para a Grécia.

Claro que a principal diferença é justamente a quantidade de gols sofridos. Os treinadores Vicente Del Bosque e Paulo Bento possuem equipes que podem reverter essa situação. Ambos têm de trabalhar com essa esperança e tentar, a todo custo, prosseguir na disputa do campeonato.

Clima de Mundial. O outro lado do torneio no Brasil que destaco é a participação popular e dos turistas que estão vindo ao País. Há um clima de Copa em todos os lugares que tenho visitado.

Encontrei muitos torcedores nos aeroportos em viagens para acompanhar suas seleções. A presença desse público alegre e festivo derrubou todo o pessimismo que havia em relação ao sucesso da maior competição do futebol mundial. Em vários países, eu sempre escutava comentários negativos sobre a realização da Copa no Brasil. Foi comum ouvir sobre o medo das pessoas de falta de segurança, falta de transporte e outros problemas.

Nesta primeira semana de competição não tivemos nada que pudesse manchar o evento. Aliás, o noticiário tem sido positivo. Claro que não podemos comparar com a Copa da Alemanha, que, por ser um país menor, é mais bem estruturado. Mas tenho observado um torneio sem grandes problemas e melhor do que foi há 4 anos, na África do Sul. A continuar assim, esta Copa tem tudo para ser a Copa das Copas.

Tudo o que sabemos sobre:
Deco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.