Desafio de artilheiros no ABC

Os corintianos Dentinho e Herrera travam duelo particular no jogo com o Santo André

Marcel Rizzo, O Estadao de S.Paulo

12 de julho de 2008 | 00h00

Líder com folga da Série B após dez rodadas, o elenco do Corinthians segue com o discurso de que "a competição merece respeito", mas procura motivações para não se acomodar com o acesso praticamente certo. Hoje, o time enfrenta o Santo André, às 16h10, no Bruno José Daniel, e, reencontro com Marcelinho Carioca, ídolo do clube. Acesse e acompanhe onlineSer campeão invicto e se tornar o melhor time da história da Segunda Divisão (precisa ter aproveitamento maior do que os 82,5% do Bragantino em 1989) é o objetivo geral. Mas a dupla de ataque titular tem outro, e que se tornou uma disputa interna: quem será o artilheiro da temporada.Depois de diminuir a fome de gols, Dentinho voltou a marcar em seqüência e encostou em Herrera: tem 13, contra 14 do argentino. O duelo de hoje pode ser o retorno de Dentinho à liderança, já que seu retrospecto nos últimos jogos está melhor. Ele anotou três em duas partidas, enquanto Herrera está há dois jogos sem marcar. "Não penso nisso. Procuro nem contar quantos gols eu tenho", desconversa o atacante argentino. Ele luta para ser o primeiro estrangeiro artilheiro da Série B, mas agora está ficando para trás. Tem seis na competição, um a menos do que Luís Carlos (8), do Ceará.Dentinho tem discurso um pouco diferente. Começa com a velha conversa de que "o importante é o time vencer", mas depois se contradiz e abre o jogo. "Em 2007, tivemos um ano difícil, muito se duvidou de mim e do Lulinha. Neste ano estou marcando gols. Seria legal terminar como goleador."TORCIDA DA DIRETORIADentinho é um dos jogadores que o Corinthians sonha vender para fazer caixa. Por isso, os gols do garoto de 19 anos são importantes para valorizá-lo. A diretoria acha que pode negociá-lo por R$ 23 milhões - o clube receberia cerca de R$ 13 milhões pelos 57,2% que detém do atleta. Um empresário e um dirigente de supermercado ficariam com o restante.Já a situação de Herrera é inversa. A valorização do argentino fará com que o clube tenha de desembolsar os R$ 5 milhões, em dezembro, caso queira ficar com o atacante. O problema é que o Corinthians já soube que um time árabe procurou o Gimnasia La Plata (ARG), que detém o vínculo definitivo. O mais provável, hoje, é que Herrera deixe o clube ao final do acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.