David Vincent / AP
David Vincent / AP

Deschamps elogia Griezmann por fidelidade ao Atlético de Madrid e foco na Copa

Técnico afirma que não conhecia decisão tomada pelo jogador, que foi anunciada em programa de TV na última quinta-feira

Estadão Conteúdo

15 Junho 2018 | 09h42

O técnico Didier Deschamps aprovou a decisão tomada por Antoine Griezmann de permanecer no Atlético de Madrid para a disputa da próxima temporada. De acordo com o técnico da França, a definição é uma "grande notícia para o clube e para a seleção", já que agora o atacante pode focar na disputa da Copa do Mundo.

+ Presidente da federação vê França em progresso, mas diz: 'Não somos favoritos'

+ Autor de gol histórico, Aloisi acredita em surpresa australiana na Copa do Mundo

+ Mbappé explica susto em treino e elogia companheiros de ataque na França

"Há duas coisas sobre a decisão dele que me agradaram: a fidelidade ao Atlético de Madrid e que agora ele terá espírito livre antes do Mundial. Isso é muito positivo para nós", comentou o treinador em coletiva de imprensa dada nesta sexta-feira após o treino da França em Kazan.

O anúncio da recusa ao Barcelona para permanecer no Atlético de Madrid foi divulgado por meio de um documentário de cerca de uma hora de duração, intitulado "La Decisión" (A Decisão) e veiculado pelo canal de TV espanhol "Movistar". Apesar de conviver com Griezmann na seleção, Deschamps garantiu que não sabia qual seria o destino do atacante.

"Não sabia de nada do que aconteceria no programa de TV. Estou dizendo a verdade, tenho muitas coisas para fazer nesses dias", afirmou o treinador francês, que não viu problema na forma como o atleta escolheu comunicar o que faria. "Muita gente deu grande importância a isso, mas, como eu disse antes, gostei da decisão por causa da fidelidade e por causa da seleção", explicou.

 

A França vai estrear na Copa do Mundo contra a Austrália, às 7 horas (de Brasília) deste sábado, em Kazan. As demais partidas da seleção francesa no Grupo D serão contra o Peru, no dia 21, em Ecaterimburgo, e Dinamarca, no dia 26, em Moscou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.