Desempenho da Ferrari tira o sono de Alonso

Segundo o piloto, carro não está competitivo como se esperava para o GP de abertura do Mundial, em Melbourne

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2012 | 03h03

Fernando Alonso reconheceu ontem, para a imprensa espanhola, depois do segundo dia de treinos no Circuito da Catalunha, em Barcelona: "Não estamos onde gostaríamos. Não estamos tão competitivos como pensávamos para Melbourne (abertura do Mundial, dia 18)". A Ferrari fez um carro completamente novo, com soluções inovadoras e ainda não compreendeu seu verdadeiro potencial.

No ensaio de ontem, Alonso completou 87 voltas na pista de 4.655 metros e registrou 1min23s180, terceira melhor do dia. O mais rápido foi o alemão Nico Hulkenberg, da surpreendente Force India, com 1min22s608 (112 voltas).

Enquanto Sebastian Vettel, da Red Bull, e Lewis Hamilton, da McLaren, se davam ao luxo de simular um GP, Ferrari e Mercedes, os times que mais investiram para se aproximar da Red Bull e McLaren, procuravam ainda entender seus modelos de 2012. "É verdade que deveríamos já saber mais do carro, mas ele é muito complexo de ser entendido. Não somos os mais rápidos, tampouco os mais lentos", disse Alonso.

Para a Ferrari se apresentar no GP da Austrália em condições de desafiar a Red Bull e a McLaren será necessário que hoje e amanhã o projetista Nikolas Tombazis e seu grupo de engenheiros encontrem as soluções para os sérios problemas enfrentados até agora. "Sofremos, por exemplo, nas saídas de curvas", disse Alonso. Felipe Massa estará ao volante do F 2012 neste teste e, depois, nos quatro dias finais, de 1.º a 4 de março,

O terceiro tempo de Vettel, 1min22s891, não representa o potencial do RB8-Renault. O alemão não se preocupou em aproveitar o instante mais rápido do circuito, de manhã, e com pneus supermacios estabelecer as melhores marcas, como fizeram Hulkenberg e Sergio Perez, da Sauber, primeiro e segundo.

A Red Bull quis conhecer o comportamento do seu modelo de 2012 durante uma corrida e com mais de um tipo de pneu. E teve agradável surpresa: o RB8 é veloz, constante e confiável. Esse foi também o resultado do simulado da McLaren, com Hamilton. "Nossa base é melhor que a do ano passado", afirmou o campeão de 2008, que completou 120 voltas, com 1min23s806 na mais rápida, sexto tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.