Emilio Naranjo/EFE
Emilio Naranjo/EFE

Desempenho do Brasil no Mundial de atletismo decepciona Cbat

País deixou a competição sem conquistar medalha; presidente acredita que o escândalo de doping atrapalhou

24 de agosto de 2009 | 12h20

O Mundial de atletismo de Berlim, na Alemanha, terminou no último domingo e o Brasil deixou a competição sem conquistar sequer uma medalha. O desempenho desagradou até a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que levou 42 atletas para disputar as provas.

Veja também:

lista PÓDIOS - Confira todos os medalhistas

linkEUA fecham Mundial de atletismo em 1.º

especialMUNDIAL - Leia todas as notícias do torneio

forum QUIZ - Participe do teste sobre o Mundial

"Os resultados no geral não foram bons", declarou o presidente da entidade, Roberto Gesta de Melo. Para ele, o escândalo de doping que tirou seis brasileiros do campeonato atrapalhou o País. "É inegável que o caso de doping que obrigou a mudanças nos quartetos de revezamento abalou a equipe. Pode-se dizer, entretanto, que os revezamentos foram bem no 4x100 m, no masculino e no feminino, pois chegaram à final".

Gesta ainda lembrou que alguns atletas foram atrapalhados pelas contusões. "Maurren e Jadel sofreram lesões e não competiram na melhor forma, embora tenham se classificado para as finais. E tivemos a Fabiana Murer, que tinha condições até de vencer a prova. Ainda não foi desta vez, mas ela tem condições de obter um grande resultado no futuro".

Fabiana Murer foi a quinta no salto com vara e o 4x100 m feminino ocupou a mesma posição. Em sétimo lugar ficaram Maurren Maggi no salto em distância e o 4x100 m masculino. E Jadel Gregório foi o oitavo no salto triplo.

FUTURO

O presidente da CBAt promete buscar contato com os principais clubes que atuam no atletismo no País para evitar que aconteçam novos vexames como esse no futuro.

"O atletismo é um esporte individual, os atletas treinam em seus clubes, com seus técnicos. Vamos procurar os clubes, para estabelecer um intercâmbio com treinadores de ponta do exterior, que procuraremos levar para o Brasil, como já fizemos em outros tempos, com bons resultados".

Ele ainda cobrou uma ação mais efetiva do Estado. É inegável que o salto do atletismo, e do esporte em geral, acontecerá, de fato, quando o governo levar o esporte para as escolas. Tenho proposto isso várias vezes, fiz isso novamente agora. Mas, para acontecer, é preciso que o Ministério da Educação participe ativamente", declarou Gesta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.