Reuters/ Ricardo Moraes
Reuters/ Ricardo Moraes

Despoluição da Baía de Guanabara continuará após 2016, diz Pezão

Após admitir que meta não será cumprida até os Jogos Olímpicos, governador do Rio de Janeiro garante que processo não irá parar

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 12h21

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), voltou a admitir nesta terça-feira que a meta de despoluição de 80% da Baía de Guanabara não deverá ser cumprida até os Jogos Olímpicos de 2016, mas insistiu que o processo seguirá depois da competição. Pelas contas do governo estadual, atualmente o processo de despoluição está em 49%.

"A gente quer muito atender a 60%, 70%, 80% para os Jogos. Agora, o que é importante é que os Jogos permitam que a gente tenha legados para sempre para a população. Nós vamos continuar com o processo de despoluição da Baía de Guanabara", declarou Pezão, logo após participar de encontro com dirigentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) em um hotel na zona sul do Rio.

Na segunda-feira, Pezão já havia dito que a promessa de despoluição de 80%, dada no dossiê de candidatura para o Rio sediar a Olimpíada, não deverá ser alcançada. Na explicação do governador, o atraso se dá devido aos trâmites burocráticos.

"Conversamos ontem (segunda) e conversamos hoje. A gente quer muito entregar, temos recursos, estamos licitando, (dando explicações), algumas no Ministério Público, outras no Tribunal de Contas. A gente sempre segue e obedece às leis, remete os editais à discussão do tribunal", declarou o governador.

Outra razão, segundo Pezão, é que a despoluição da Baía precisa vir acompanhada de uma série de outras intervenções nas cidades próximas. "Uma das ações que a gente está fazendo, que eu quero tirar do papel e apresentar no segundo semestre junto com a obra de água que estamos licitando para toda a Baixada (Fluminense), é poder levar esgoto (tratado) para toda a baixada fluminense e para São Gonçalo. Se nós não tratarmos o esgoto da região metropolitana do Rio nós não vamos ter a Baía de Guanabara despoluída."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.