Desta vez, Santos descarta interesse em Luxemburgo

Antes da chegada de Vágner Mancini à Vila Belmiro, num encontro casual com o presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, Marcelo Teixeira não escondeu que se sentia inferiorizado em relação ao adversário naquele momento, ao se queixar: "Você que é feliz, Belluzzo. Pode ter um técnico de ponta."Desde a madrugada de sábado, quando foi demitido pelo Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo está livre no mercado, mas, pela primeira vez em nove anos, Teixeira não demonstra intenção de contratá-lo. Quem mudou: o presidente, Luxemburgo ou Santos? A campanha do time no Campeonato Brasileiro não chega a ser satisfatória. Como foi desclassificado prematuramente da Copa do Brasil pelo fraco CSA, na Vila Belmiro, o Santos é o único dos grandes que pôde se dedicar apenas à competição nacional e, ainda assim, por enquanto não repete a boa campanha do Paulista. Mas, nem por isso, Teixeira se sente tentado a contratar o tricampeão brasileiro Muricy Ramalho ou o rei dos pontos corridos, Luxemburgo. "Não analiso o trabalho do Mancini por dois ou três resultados, e sim pelo período. Ele conseguiu índices importantes e, com dois meses de trabalho, nos levou à decisão do estadual mais difícil do País. Com Mancini, o Santos vai lutar por uma das vagas para a Libertadores do próximo ano", projeta. Enquanto a torcida se divide entre Muricy e Luxemburgo para o restante do Brasileiro, Teixeira fica apenas nos elogios, sem citar os nomes dos técnicos. "Admiro o trabalho dos dois. São treinadores de prestígio e capacidade e não vão ficar parados por muito tempo", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.