Valéria Gonçalvez/Estadão
Valéria Gonçalvez/Estadão

Destaque do lançamento de disco, brasileira é suspensa por suspeita de doping

Andressa de Morais é dona da sexta melhor marca no mundial e foi pega por uso de substância anabolizante

Redação, Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2019 | 10h22

A brasileira Andressa de Morais, candidata à medalha na prova do lançamento de disco no Mundial de Doha, no Catar, que acontecerá entre os dias 27 deste mês e 6 de outubro, recebeu uma suspensão provisória por doping depois de testar positivo para uma substância anabolizante (SARM) em teste realizado durante os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. O anúncio foi feito nesta sexta-feira pela Unidade de Integridade do Atletismo (AIU, na sigla em inglês).

Andressa de Morais, de 28 anos e dona da sexta melhor marca mundial em 2019 na prova, melhorou o próprio recorde sul-americano em 6 de agosto, quando conquistou a medalha de prata no Pan de Lima, atrás da cubana Yaimé Pérez, com um lançamento de 65,98 metros.

O caso é examinado atualmente pela Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa, na sigla em espanhol), que organiza os Jogos Pan-Americanos, informou a AIU. A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e Andressa de Morais ainda não se manifestaram sobre o assunto.

Se o doping for comprovado, Andressa de Morais cederia a medalha de prata no Pan de Lima para a compatriota Fernanda Borges. O recorde sul-americano, no entanto, não seria computado.

A paraibana, que representa o Pinheiros, competiu no último final de semana no Troféu Brasil de Atletismo, em Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Ela foi a campeã com a melhor marca em 61,65 metros, ficando à frente de Fernanda Borges, que conseguiu 60,54 metros.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoAndressa de Morais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.