Deu Brasil. E nem foi preciso esforço

Seleção bate Ucrânia e enfrenta a Rússia, amanhã, por vaga na final

Giuliander Carpes, RIO, O Estadao de S.Paulo

15 de outubro de 2008 | 00h00

A preocupação ontem da seleção brasileira, classificada por antecipação, dizia respeito à definição do adversário de amanhã pela semifinal. Em quadra, sem esforço, o Brasil encerrou sua participação na segunda fase do Mundial de Futsal contra a Ucrânia. Venceu por 5 a 3, com três gols de Falcão, apesar de ter relaxado em certos momentos da partida e cometido alguns erros. "Os gols que sofremos surgiram de erros individuais", analisou o técnico Paulo César de Oliveira, que espera hoje pelo julgamento de Betão. Veja o canal especial do MundialO adversário brasileiro na semifinal saiu de um tenso duelo entre Rússia e Argentina. As equipes brigavam pela sobrevivência no Mundial de Futsal - e os russos tinham a vantagem do empate para garantir a vaga. E foi exatamente o que ocorreu no Maracanãzinho: 2 a 2.Os russos terão agora a possibilidade de se vingar do Brasil na semifinal, pois tomaram uma goleada por 7 a 0 na primeira fase, em Brasília. A classificação da Rússia veio com derrota para a Espanha (5 a 2), vitória no último minuto contra o Paraguai (5 a 4) e o suado empate de ontem. "Nosso grupo era muito difícil", disse o auxiliar-técnico Vladimir Levin. "Cada jogo era como se fosse uma final."A vaga garantiu à Rússia sua melhor posição em um Mundial. "É uma grande vitória estar entre os quatro", disse o brasileiro Pula, que joga na seleção européia.A conquista foi ainda mais festejada porque eles perderam, no início da segunda fase, um de seus melhores jogadores, o pivô brasileiro Sirilo, lesionado. "Perdemos um jogador de referência no ataque, o único que tínhamos", lamentou Pula.ITÁLIA SOFREA classificação italiana para a semifinal do Mundial de Futsal foi dramática. Para passar, bastava à Azzurra empatar com o Irã, mas, a 51 segundos do fim, o time perdia por 5 a 4. Foi quando Bertoni empatou, deu a vaga aos italianos e quase matou o técnico iraniano do coração. Literalmente. Hossein Shams, que havia prometido que o seu time jogaria a final com o Brasil, teve de sair amparado da quadra por membros da comissão técnica. A Itália também terá sua revanche na semifinal. Repetirá, amanhã, a final do campeonato europeu de 2007, quando perdeu da Espanha por 3 a 1 e acabou com o vice. A propósito, na decisão do Mundial de 2004, os italianos também perderam (2 a 1). Motivação, portanto, para parar a Fúria não falta. Ainda ontem, os espanhóis venceram o Paraguai por 4 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.