Dia de a Suíça mostrar que também sabe atacar

Dona de defesa eficiente, seleção precisa fazer gols e vencer Honduras para conquistar uma vaga nas oitavas de final

Jamil Chade, enviado especial, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2010 | 00h00

Mudança. Frei afirma que Suíça ten de ser nelhor na frente    

 

BLOEMFONTEIN

A Suíça - melhor defesa entre todas as seleções que estão na Copa no último ano - só depende de si. Mas terá de abandonar a sua tradicional estratégia defensiva e finalmente passar ao ataque se quiser se classificar à próxima fase. Depois de vencer a Espanha e ver a eliminação de França e Itália, os suíços alertam: já não existem mais zebras nesta Copa.    

 

Veja também:

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador |

Hoje, os suíços enfrentam Honduras em busca de uma vaga para as oitavas de final e um eventual jogo contra o Brasil no dia 28. Mas, com apenas um gol marcado em dois jogos, a seleção terá de promover uma verdadeira revolução no seu tradicional esquema de jogo e fazer o que nunca conseguiu desde o início da Copa: marcar pelo menos dois gols. Pior: nos últimos sete jogos, fez apenas três.

O cenário de ter de atacar será novo para o time de Ottmar Hitzfeld, que por enquanto esteve mais preocupado em não perder do que em ganhar. Não por acaso, os suíços entraram no livro dos recordes ao somar 558 minutos sem tomar gol em Copas.

Para promover a mudança de mentalidade em campo, a esperança está nos pés do congolês Nkufo e do turco Derdiyok. Um dos dois fará a dupla de ataque com Frei, estrela do time e capitão, mas que jogou apenas 40 minutos no Mundial. "Só depende de nós a classificação. Contra a Espanha, tínhamos de jogar na defesa. Agora, contra Honduras, será diferente, vamos entrar com uma nova mentalidade. Teremos de ser melhores no ataque", reconhece Frei, garantindo que está finalmente 100% fisicamente depois de contusão.

Suíça x Honduras

SUÍÇA: Benaglio, Lichtsteiner, Von Bergen, Grichting, Ziegler, Inler, Huggel Gelson Fernandes, Barnetta, Frei, NKufo (Derdiyok). Técnico: Ottmar Hitzfeld

HONDURAS: Valladares, Mendoza, Chávez, Figueroa, Izaguirre, Guevara, Wilson Palacios, Núñez, Turcios, Suazo, Pavón Técnico: Reinaldo Rueda Horário: 15h30

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.