Dia prateado do Brasil

Daniel Dias ganha a 4ª medalha. Sirlene Coelho bate recorde, mas não leva ouro

O Estadao de S.Paulo

11 de setembro de 2008 | 00h00

O dia foi de prata para a delegação brasileira que disputa a Paraolimpíada de Pequim. Depois de ganhar três ouros na categoria S5, o nadador Daniel Dias ficou com o segundo lugar na final dos 50 metros borboleta (36s25), perdendo para o americano Roy Perkins, que estabeleceu novo recorde mundial para a prova, 35s95. O brasileiro Clodoaldo Silva também participou da final, mas ficou na 8ª posição. Veja o quadro de medalhas completoO outro destaque do dia foi a lançadora de dardo Shirlene Coelho, que bateu o recorde mundial na categoria FF37 por duas vezes, mas não levou o ouro. A brasileira lançou 35,95 metros em sua melhor tentativa, mas não ganhou - o número de atletas participantes era pequeno e a prova juntou os atletas das categorias de F35 a F38. Por isso, as medalhas são decididas por uma pontuação calculada em relação ao recorde mundial de cada classe da competidora. A chinesa Qing Wu ficou com o ouro, com a soma de 1.662 pontos. Ela estabeleceu a melhor marca do mundo na F36 com um lançamento de 28,84 m.A terceira medalha do dia foi um bronze no atletismo. Nos 800 metros categoria T12, Odair Santos completou a prova em 1min53s73. O ouro ficou com Abderrahim Zhiou da Tunísia, que bateu o recorde mundial com o tempo de 1min52s13. O cubano Lazaro Raschid ficou com a prata.A Paraolimpíada teve ontem seu segundo caso de doping. O jogador alemão de basquete em cadeira de rodas Ahmet Coskun foi flagrado por uso de finasterida, uma substância que pode mascarar o uso de outros medicamentos proibidos. A amostra foi coletada no início do mês.O BEBÊ DO NINHOUma menina recém-nascida foi encontrada na tarde de terça- feira em um dos banheiros do Estádio Ninho de Pássaros. Nenhuma autoridade soube dizer algo a respeito do paradeiro da mãe, que provavelmente abandonou a filha logo após dar a luz - a criança foi encontrada coberta de sangue.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.