Noushad Thekkayll/EFE
Noushad Thekkayll/EFE

Diamond League adia duas etapas e confirma competição alternativa em Oslo

Agora, foi a vez das provas previstas para os dias 7 e 13 de junho sofrerem alterações

Redação, Estadão Conteúdo

23 de abril de 2020 | 14h30

Nesta quinta-feira, a World Athletics, novo nome da IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo, na sigla em inglês), anunciou o adiamento de duas etapas da Diamond League, a principal série de eventos organizados pela entidade. Desta vez, foram as provas previstas para o mês de junho: Eugene, nos Estados Unidos, no dia 7, e Paris, no dia 13. Assim como acontece com outras modalidades, o atletismo vem sofrendo com a pandemia do novo coronavírus.

Anteriormente, as seis primeiras etapas da atual temporada já haviam sido alteradas por conta da pandemia da covid-19. Como nas suspensões anteriores, a decisão desta quinta-feira foi tomada em estreita consulta com organizadores, atletas e partes interessadas, de acordo com a World Athletics.

Novas datas para as competições adiadas não foram confirmadas pela entidade que comanda o atletismo mundial. A World Athletics se pronunciará em breve, mas dependerá da situação sanitária global para remarcar os cronogramas das competições.

"Nas últimas semanas, a Diamond League se viu obrigada a suspender as suas primeiras etapas como consequência da crise global causada pelo novo coronavírus. Como todos os adiamentos anteriores, esta nova decisão foi tomada após consulta a todas partes envolvidas, considerando a segurança dos atletas e as restrições para viagens que fazem ser impossível realizar as competições nas condições programadas", informou a World Athletics em nota oficial.

Além disso dos adiamentos, a entidade anunciou que a etapa de Oslo, na Noruega, marcada para 11 de junho, foi confirmada e acontecerá em um formato alternativo. Chamado de "Impossible Games" (Jogos Impossíveis, na tradução), o evento reunirá algumas estrelas do atletismo da Escandinávia, que terão como foco principal quebrar recordes e protagonizar grandes duelos.

A competição não terá público como forma de evitar aglomerações em medida de prevenção ao coronavírus, mas terá transmissão da TV local. A criação do evento foi trabalhada em conjunto com a prefeitura de Oslo e o governo norueguês, que aprovaram a sua realização. A ideia também ganhou apoio dos atletas, da Associação Norueguesa de Atletismo e da World Athletics.

Os suecos Armand Duplantis, recordista mundial no salto com vara, e Daniel Stahl, campeão mundial no lançamento de disco, são presenças garantidas, além do anfitrião Karsten Warholm, atual bicampeão mundial nos 400 metros com barreiras. O francês Renaud Lavillenie, ex-detentor do recorde mundial no salto com vara e medalhista de prata nos Jogos do Rio-2016 - perdeu o ouro para o brasileiro Thiago Braz -, também participará, mas de sua casa na França.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.