Diante de mar agitado, Kelly Slater festeja vaga no Pipe Masters

Multicampeão machuca as costelas na sua apresentação; Jordy Smith também machuca o ombro e deixa bateria antes do final

Paulo Favero - Enviado especial ao Havaí, O Estado de S. Paulo

13 de dezembro de 2014 | 17h28

O norte-americano Kelly Slater, sete vezes vencedor do Pipe Masters, confessou que as condições do mar estão desafiadoras em Pipeline, no Havaí. "Está um desafio lá, muito complicado. Mas são condições iguais para os dois atletas. Estava um pouco caótico, mas consegui encontrar algumas boas ondas", afirmou após vencer a sua bateria contra o havaiano Reef McIntosh.

O surfista 11 vezes campeão mundial achou um pouco precipitado a organização do torneio confirmar a realização das provas para o dia tão cedo, pois acha que o mar está difícil. Ele chegou a machucar as costelas. Pouco depois, Jordy Smith também se machucou feio no ombro e acabou deixando a sua bateria antes do final.

Além das grandes ondas, que se aproximam em alguns momentos dos seis metros, há muita correnteza. Apesar das dificuldades, Kelly Slater se mantém confiante. "Se quero ganhar esse campeonato mundial, tenho de encarar os melhores e vencer. O Reef é um dos melhores aqui, procurou boas ondas e foi difícil", avisou.

Tudo o que sabemos sobre:
surfeCircuito MundialKelly Slater

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.