Diário do Japão: O país é ótimo, mas a fumaça do cigarro...

Para quem nunca foi fumante e se acostumou às maravilhas da tolerância zero contra o cigarro em locais públicos no Brasil, basta que um seja aceso, mesmo que a uma distância razoável, para o "detector de fumaça'' disparar no mesmo instante. E logo vem à cabeça a pergunta: "Cadê o gaiato que está burlando a lei?''

Luís Augusto Monaco, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2011 | 03h04

Foi isso o que pensei na estação de Shinagawa, em Tóquio, quando aguardava pelo trem-bala que me traria para Nagoya. Num ambiente de limpeza exemplar, do nada surge o cheiro de cigarro. Eu poderia estar enganado, traído pelos efeitos de 23 horas de voo. Mas logo vi que não havia engano; como se fossem um cardume, vários japoneses "saboreavam'' seus cigarrinhos. No trem, descubro que os vagões 3, 7 e 15 são reservados para fumantes. Chego a Nagoya, e em todo restaurante que entro a primeira pergunta que me fazem quando peço uma mesa é "smoking or non smoking?'' Nem me lembro quando foi a última vez que um garçom me perguntou isso no Brasil...

O Japão é uma maravilha, tudo funciona, o povo é gentil, mas não há lugar como o Brasil. Pelo menos para quem não suporta fumaça de cigarro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.