Kimimasa Mayama/Efe
Kimimasa Mayama/Efe

Diário do Japão: Silêncio de Ganso para evitar mais polêmica

O presidente santista Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro completou ontem 69 anos e comemorou em Tóquio, onde está hospedado. Em Kawasaki, onde o time treinou, Ganso passou em silêncio pela área de entrevistas pela segunda vez seguida - a primeira tinha sido no estádo de Toyota, após a vitória sobre o Kashiwa Reysol (quinta-feira não houve contato com a imprensa).

Luís Augusto Monaco , O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2011 | 03h04

Ambos estão evitando o assunto que mais causou polêmica na concentração desde que a delegação chegou ao Japão, dia 8: sua declaração de que vendeu para a DIS os 10% de seus direitos econômicos que lhe pertenciam porque o Santos não teve interesse em comprá-los. "Quando um não quer, vem outro e compra", disse sábado o meia, confirmando a informação.

A mudez de Ganso começou depois que Luís Álvaro esteve em Nagoya no dia da semifinal. É uma trégua, mas não uma rendição. O garoto, que tem personalidade e coragem de sobra, concordou em não colocar mais lenha na fogueira até o fim do Mundial. Mas já prometeu voltar ao assunto e esclarecer todas as dúvidas (o Santos alega não saber da venda de seus direitos para a DIS) depois da final. Se ele se posicionar novamente ao lado da empresa que agora tem 55% de seus direitos econômicos, tornará muito difícil a negociação de um novo contrato com o clube.

A diretoria argumenta que a DIS influenciou Ganso a não aceitar a proposta recebida no início do ano para que ele pudesse continuar dono dos 100% de sua imagem. Como o craque demonstra estar fechado com seus representantes, não há chance de o quadro ter mudado ou vir a mudar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.