Diego brilha e leva o ouro na Super Final

Vitória não apaga decepção na China, mas lhe garante um bom fim de ano

, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

Na última competição de 2008, Diego Hypolito ganhou um motivo para voltar a sorrir. Ontem, o ginasta brasileiro garantiu o tricampeonato na prova do solo da Super Final da Copa do Mundo, em Madri, na Espanha, com uma nota de 16,125. É um desfecho positivo para um ano marcado pelo decepcionante sexto lugar nos Jogos de Pequim. "Eu precisava muito desse resultado. Finalizo o ano com chave de ouro e com uma certeza: eu me reergui", desabafou.Após a vitória, Diego afirmou que a frustração na última Olimpíada serviu de lição. "Fiquei triste não pela derrota, mas pelo erro no fim. Mas Pequim foi, apesar de tudo, muito importante para mim." A competição, que termina hoje, encerra o calendário internacional da ginástica em 2008.Na final, Diego não enfrentou nenhum dos três medalhistas na China. O russo Anton Golotsutskov, bronze nos Jogos, estava confirmado para a disputa, mas desistiu na última hora. O ouro na Espanha veio com uma execução quase perfeita do Hypolito, movimento que consiste em um duplo twist carpado com pirueta. Na China, o ginasta abriu mão do salto por causa das dificuldades na preparação, decorrentes de uma artroscopia no joelho direito e da internação por dengue, em abril. Sem pressão, Diego cometeu poucos erros e não escondeu o alívio ao concluir a série. A prata ficou com o japonês Kohei Uchimura (15,900), seguido pelo israelense Alexander Shatilov (1,500). A pontuação que Diego obteve em Madri seria suficiente para lhe dar o ouro nos últimos Jogos Olímpicos, mas não deixou o brasileiro satisfeito. Para 2009, ele planeja apresentações mais complexas que a de ontem. "Começarei a trabalhar uma nova dificuldade, quero subir até os 16,900 de partida." Para isso, passou a seguir um modelo de treinamento com padrão japonês, implantado pelo técnico Renato Araújo.Líder do ranking mundial da prova, Diego Hypolito venceu as duas últimas edições da Super Final da Copa do Mundo. Em 2004, apareceu pela primeira vez em Birmingham, na Inglaterra. Dois anos depois, em São Paulo, conquistou o bicampeonato e deu um show diante da torcida brasileira. Em sua quarta Super Final, Daniele Hypolito, irmã de Diego, terminou na sétima colocação da final da prova das barras assimétricas. Após duas quedas, Daniele acabou com uma nota de 11,875, um resultado inferior ao obtido em São Paulo, quando foi medalha de prata. O ouro ficou com a chinesa He Kexin (16,250), atual campeã olímpica do aparelho. Além de Diego e Daniele, a ginástica brasileira terá a apresentação de Mosiah Rodrigues (mais informações ao lado). Jade Barbosa e Daiane dos Santos tinham classificação para competir na Espanha, mas as duas tiveram de desistir do evento por problemas de lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.