Diego Cavalieri para o Palmeiras

Time paulista cria várias chances, mas pega seu ex-goleiro em noite inspirada e, no fim, Jean dá a vitória ao Fluminense

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2012 | 03h03

Quem esperava ver uma disputa entre Barcos e Fred, foi surpreendido com a boa atuação do goleiro Diego Cavalieri e com um chute certeiro de Jean, que foram os protagonistas da vitória do Fluminense sobre o Palmeiras por 1 a 0, ontem à noite, no Engenhão.

O jogo começou com as duas equipes apostando muito na marcação. A preocupação com Fred e Barcos era evidente. O Palmeiras começou melhor, tocando mais a bola e com espaço pelo lado esquerdo. Tanto que criou a primeira chance de gol, em uma cabeçada de Barcos defendida por Cavalieri.

Após o susto inicial, o Fluminense conseguiu equilibrar o jogo e se aproveitou de mais uma vez o lado direito do Palmeiras ter muitas dificuldade na marcação. Isso já havia acontecido nos últimos jogos. Carlinhos cansou de passar por Artur, chegar até a linha de fundo e cruzar para a área, mas a defesa palmeirense estava muito bem postada dentro da área e evitou que Bruno tivesse muito trabalho na primeira etapa.

O Palmeiras apostava nos contra-ataques e foi assim que levou perigo em outras duas oportunidades, que só não resultaram em gols por culpa de Diego Cavalieri. No primeiro lance, Fernandinho fez boa jogada pela esquerda, encheu o pé e o goleiro pegou. Depois foi a vez de Artur arriscar. Cavalieri desviou e a bola ainda bateu na trave antes de ir para fora.

No intervalo, Abel Braga tirou Wagner, machucado, e colocou o volante Diguinho. Com isso, Thiago Neves teve maior liberdade para organizar o jogo e o Fluminense voltou melhor. Mas como equilíbrio foi a palavra-chave do jogo, apesar de toda a pressão, na primeira vez que conseguiu chegar ao ataque o Palmeiras quase marcou com Patrik. Ele recebeu passe de Obina e encheu o pé, para Cavalieri protagonizar mais uma grande defesa para a coleção.

Pressão vira gol. O Flu respondeu com Wallace pela direita cruzando para a área e Thiago Heleno, na tentativa de cortar, chutando contra a própria meta. Dessa vez brilhou Bruno. Como o jogo estava muito pegado, o Palmeiras passou a segurar mais a bola e apostava nas bolas paradas. Em uma delas, Marcos Assunção cobrou escanteio e Thiago Heleno acertou a trave.

Mas o Fluminense continuou melhor e pressionou até conseguir seu gol. Aos 38, Rafael Sóbis passou para Jean, que dominou na entrada da área e bateu rasteiro, sem chances para Bruno, em uma clara distração da defesa palmeirense.

O gol fez o Palmeiras se aventurar um pouco mais ao ataque, mas o nervosismo se tornou o maior adversário e nem a bola parada de Marcos Assunção, tampouco Barcos conseguiram ameaçar o iluminado Cavalieri.

E, apesar do equilíbrio na maior parte do tempo, o Palmeiras voltou de Rio de Janeiro com mais um resultado negativo e na zona de rebaixamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.