Arquivo/AE
Arquivo/AE

Diego Hypolito disputa 1.ª competição internacional em 2009

Brasileiro participará das provas de solo, salto e barras paralelas da ginástica artística em Cottbus, na Alemanha

Valeria Zukeran - O Estado de S. Paulo,

19 de março de 2009 | 20h34

Depois de um início de ano tumultuado por causa dos problemas financeiros do Flamengo que quase acabaram com a equipe de ginástica do clube, Diego Hypolito participa nesta sexta-feira, em Cottbus, Alemanha, de sua primeira competição internacional na temporada - etapa da Copa do Mundo. O atleta participará das provas de solo, salto e barras paralelas.

No solo, o ginasta irá apresentar novidades em sua apresentação. "Com a mudança no código de pontuação tive que fazer algumas alterações na minha série de solo", explica Diego.

Segundo ele, as duas primeiras passadas terão um alto grau de dificuldade, pois a execução será muito valorizada. "Outra novidade é de que não irei mais apresentar o movimento ‘Hypolito’. Um ‘novo Hypolito’ (na ginástica, os saltos inéditos ganham o nome de seu inventor) já está pronto e deverá ser apresentado na etapa de Glasgow, na Escócia.". O ginasta acredita que, pelo menos em um primeiro momento, nenhum adversário será capaz de copiá-lo.

Diego já definiu suas prioridades em 2009. Como a ginástica artística passa a ter Superfinal da Copa do Mundo anualmente ao invés de bienalmente, o atleta resolveu que participará de pelo menos sete etapas do evento na temporada, sem contar com o Mundial, de Londres, sede da próxima Olimpíada. No solo, o brasileiro tentará este ano o tetracampeonato na Superfinal e o tricampeonato no Mundial.

Em Cottbus, Diego terá um teste importante que vai lhe permitir avaliar se os problemas do início do ano afetaram a sua preparação. O ginasta foi pivô de uma polêmica entre o presidente do Flamengo, Márcio Braga, e o do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman.

O primeiro reclamou que o clube da Gávea não recebia um tostão da entidade máxima do esporte nacional para sustentar seus atletas olímpicos, o que estava causando, entre outros motivos, o fechamento da equipe de ginástica do Flamengo. O caso só foi resolvido pela intervenção da Prefeitura de Niterói, que resolveu bancar os ginastas rubro-negros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.